Menu
Busca sexta, 10 de julho de 2020
(67) 99659-5905
CAMPO GRANDE

Dono de bar preso com entorpecentes tem prisão preventiva decretada

05 junho 2020 - 15h35Por Da Redação

O juiz em plantão criminal na Comarca de Campo Grande, Valter Tadeu Carvalho, converteu, nesta manhã (5), a detenção em flagrante do proprietário de um bar em prisão preventiva. O comerciante vendia substâncias entorpecentes em seu estabelecimento e tinha em sua posse uma arma de fogo e munições sem registro.

Na tarde de ontem (4), policiais deslocarem-se ao bairro Moreninha III, na Capital, para averiguar denúncia anônima de comércio ilegal de drogas em um bar situado próximo a um cemitério da região. Após campana velada e a constatação de movimentação suspeita no local, os agentes adentraram no comércio e abordaram o seu proprietário. Com o consentimento dele, iniciaram buscas no bar, localizando rapidamente várias porções de pasta base de cocaína em uma prateleira sob o balcão.

Em continuidade às diligências, os policiais militares decidiram averiguar a residência do proprietário do bar, a qual fica aos fundos do empreendimento. Dispostas na mesa da cozinha, os agentes encontraram inúmeras outras porções da mesma droga, além de uma balança de precisão e instrumentos usados para embalar a substância ilícita. Já no quarto do comerciante, embaixo de seu travesseiro, foi localizado um revólver calibre .38, carregado com seis munições.

Toda a droga foi apreendida e levada para a delegacia, onde laudo pericial constatou se tratar de cerca de 89 gramas de cocaína, distribuídas em 241 papelotes prontos para venda.

Autuado nos crimes de posse irregular de arma de fogo e de tráfico de drogas, o comerciante de 64 anos disse ter a arma de fogo há mais de 10 anos, tendo a adquirido para defesa pessoal e de seu bar. Ele também confessou a traficância de droga pelos últimos três meses, sendo que vendia cada papelote por R$ 10,00. Segundo o comerciante, ele vendia de 50 a 60 porções por dia.

Na decisão que converteu o flagrante em prisão preventiva, o magistrado ressaltou que a soma das penas máximas dos dois delitos em que o custodiado foi autuado ultrapassam quatro anos, um dos requisitos que permitem a decretação de prisão preventiva. “Por seu lado, a prisão é necessária para garantia da ordem pública, vez que a gravidade em concreto dos fatos. Foi apreendida considerável quantidade de substância entorpecente (241 porções), bem como uma arma de fogo. A soltura do flagrado neste momento pode acarretar intranquilidade social e até mesmo descrédito às instituições”, fundamento o julgador.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FUTEBOL
Paulistão tem data de inscrição ampliada e rebaixamento mantido
DESCAMINHO
Veículos são apreendidos com produtos contrabandeados
MATO GROSSO DO SUL
No dia do Oncologista, médico diz que é um grande compromisso trabalhar nesta especialidade
BRASIL
Bolsonaro apresenta boas condições de saúde, diz Planalto
PANDEMIA
Pedidos e calamidade pública chega a mais da metade de cidades em MS
CRIME AMBIENTAL
Douradense é multado por armazenar combustível de forma ilegal
ECONOMIA
Caixa ultrapassa R$ 5 bi em crédito a micro e pequenas empresas
ECONOMIA
Dólar fecha em queda com investidores monitorando a pandemia
JARDIM MÁRCIA
Homem é preso por violação de domicílio e tentativa de furto em Dourados
DOURADOS
DOF prende dois passageiros de ônibus com tabletes de maconha

Mais Lidas

DOURADOS
Decreto vai mandar fechar bares e academias por 10 dias
DOURADOS
Publicado, decreto que fecha bares e academias por 10 dias poderá ser prorrogado
PANDEMIA
Pneumologista é o terceiro médico a morrer por covid-19 em Dourados
DOURADOS
Decreto é alterado e agora autoriza delivery e drive-thru para bares e conveniências