Menu
Busca segunda, 26 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
MESMO CRIME

Dois são condenados em processo envolvendo filho de desembargadora

17 dezembro 2017 - 08h41Por G 1

A namorada e o funcionário do filho da desembargadora e presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), Tânia Garcia Lopes, foram condenados por tráfico de drogas e porte de munição. Já Breno Fernando Solon Borges será julgado separadamente, pois o processo foi desmembrado após a defesa pedir perícia de insanidade mental. Com o desmembramento do processo, ele irá responder pelos mesmos crimes posteriormente. 

Eles foram pegos em flagrante com 129 quilos de maconha e 270 munições, no dia 8 de abril deste ano, em Três Lagoas, a 313 quilômetros de Campo Grande. O caso deu origem ao processo sobre tráfico de drogas, porte de munição e associação criminosa.

Breno, o filho da desembargadora, também vai responder pelos mesmos crimes, além de porte ilegal de arma, de acordo com o advogado Paulo Belarmino de Paula Júnior, que defende os condenados, Cleiton Jean Sanches Chaves e Isabela Lima Vilalva.

Condenados

Ainda segundo Belarmino, a magistrada entendeu que não ocorreu associação criminosa “porque não houve intuito duradouro”. Cleiton foi condenado a 8 anos e dois meses e Isabela a 7 anos, 5 meses e 5 dias.

O advogado disse também que na próxima segunda-feira (18) dará entrada no pedido de habeas corpus para que recorram em liberdade.

“A pena dela se encaixa em regime semiaberto, mas a juíza decidiu direto no fechado”, disse Belarmino. No dia do flagrante Isabela tinha sido liberada, mas depois foi decretada a prisão preventiva.

Caso Breno

O processo de Breno chegou a ser suspenso para aguardar a realização dos laudos. Conforme a movimentação processual, a avaliação psiquiátrica de Breno ficou pronta e a curadora dele, a própria mãe, se manifestou. A próxima fase é a conclusão da juíza sobre a opinião médica.


Durante esse intervalo, o empresário chegou a ficar internado em uma clínica em Atibaia, interior de São Paulo, por quatro meses. Por causa de um processo da Polícia Federal, resultado da Operação Cérberus, o filho da desembargadora voltou ao presídio na região leste do estado.

A substituição da prisão pela internação ocasionou a abertura de investigação no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que vai apurar as circunstâncias da concessão do habeas corpus ao Breno.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Trutis tem candidatura para prefeito da capital negada
REGIÃO
Mulher é flagrada pela polícia por tráfico de papagaio
REGIÃO
Motorista de guincho suspeita de contratante, aciona polícia e droga é encontrada dentro de carro
PANDEMIA
Mulheres obedecem mais às restrições de isolamento
REGIÃO
Filhote de cervo-do-pantanal ferido após atropelamento é socorrido pela PMA
REGIÃO
Após divulgar pesca predatória na internet, pescador é autuado pela PMA
ECONOMIA
Banco Central registra recorde de remessas de dólares para Brasil
REGIÃO
Traficantes são presos com quase 1 t de droga logo após tentarem atropelar policiais
MUNDO
EUA registram os 2 dias com mais infectados por Covid-19 desde o início da pandemia
LEVANTAMENTO
Rendimento médio per capita dos domicílios em MS cresce em todas as comparações

Mais Lidas

DOURADOS
Guarda encerra festa organizada por adolescente em plena pandemia, apreende droga e até arma artesanal
DOURADOS
PM é acionada e consegue evitar suicídio de homem em hotel
DOURADOS
Homem invade casa, tenta estuprar jovem e é detido por populares
DOURADOS
Homem é socorrido às pressas após levar golpes de facão na cabeça