Menu
Busca sábado, 24 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
OCUPAÇÃO

Detentas disputam Torneio Estadual de Xadrez na Capital neste fim de semana

15 dezembro 2017 - 18h20

Três internas do Estabelecimento Penal Feminino Carlos Alberto Jonas Giordano, em Corumbá, vão disputar o título do Torneio Estadual Feminino de Xadrez, que acontece neste fim de semana em Campo Grande, na Academia de Xadrez e Robótica, localizada na rua Paraíba,  836, Jardim dos Estados.

Realizado pela Federação Sul-mato-grossense de Xadrez (Fesmax), neste sábado e domingo (16 e 17.12), o campeonato será no sistema Suíço, com até cinco rodadas, dependendo do número de participantes, já que o torneio é aberto.

As atletas fazem parte do projeto Xadrez que Liberta, realizado no presídio de Corumbá por meio de parceria entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), Poder Judiciário, Conselho da Comunidade e Clube de Xadrez Pantanal. As vagas no estadual foram conquistadas após competição realizada dentro da unidade prisional. Esta será a segunda vez que reeducandas de Corumbá participam da disputa.

De acordo com a diretora do presídio, Anelize Lázaro de Lima, as aulas do  projeto acontecem em forma de oficinas e contam com a participação de 12 internas, que têm direito à remição de um dia na pena a cada 12 de instrução, conforme critérios estabelecidos pelo juiz da Execução Penal da comarca, André Luiz Monteiro, idealizador da iniciativa, e pela Fesmax.

Para a dirigente, a atividade tem se mostrado muito efetiva, pois contribui para combater a ociosidade, deixando as detentas mais pacientes e disciplinadas. “No cárcere o nível de ansiedade é muito alto, seja por estarem aguardando a condenação, seja pela situação de aprisionamento em si, e o xadrez acalma e ainda ajuda no desenvolvimento mental, psicológico e intelectual”, afirma.

A reeducanda Ariane de Oliveira, de 27 anos,  é uma das três que participarão do torneio na Capital. Competitiva, ela garante que está preparada para conquistar um lugar no pódio. “Se entramos em uma competição é para ganhar. Mas entendo que só de participar com a vaga conquistada, já faz a gente acreditar que é capaz”, destaca.

Ariane garante que o esporte tem auxiliado bastante na vida intramuros da prisão.  “Com o xadrez, sinto que é possível me tornar uma pessoa mais centrada e equilibrada”, afirma, reforçando que pretende continuar a praticar depois que conquistar a liberdade.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORUMBÁ
Homem é assassinado a golpes de faca no abdômen e na cabeça
POLÍTICA
Nelsinho Trad recebe do Dnit garantia de R$ 41,2 milhões para obras em MS
POLÍCIA
Homem é preso após subornar policiais militares com "corrente de ouro"
SAÚDE
Profissionais da maternidade do HU recebem curso sobre imunização
CAPITAL
Motorista de carro que bateu em carreta morre após parada cardiorrespiratória
TECNOLOGIA
WhatsApp agora permite silenciar conversas e grupos; veja como fazer
TRIBUNAL DO JURI
Sobrinho que matou tio a tiros em conveniência sai livre de julgamento
JUSTIÇA
Lote de habitação popular deve ser quitado com falecimento de beneficiário
REGIÃO
PF prende golpista que enviou molho de tomate a cliente que pagou por celular
BRASIL
Censo mostra que ensino a distância ganha espaço no ensino superior

Mais Lidas

DOURADOS
Acusado de matar mulher por asfixia no Canaã I é preso no Piratininga
TRÂNSITO
Moto invade preferencial, é atingida por caminhonete e dois ficam feridos na Marcelino
TRÁFICO DE DROGAS
Jovens que saíram de Dourados são flagrados com maconha no interior paulista
PONTA PORÃ
PF faz segunda maior apreensão de cocaína do ano em MS