quinta, 19 de maio de 2022
Dourados
18°max
min
Campo Grande
17°max
min
Três Lagoas
21°max
min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
CONSELHO DE ÉTICA

Deputados recusam relatoria de processo contra Eduardo Bolsonaro

13 maio 2022 - 18h50Por G 1

Os três deputados sorteados no Conselho de Ética da Câmara como potenciais relatores para apurar a conduta do deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) no caso em que ele debochou da tortura sofrida pela jornalista Miriam Leitão durante a ditadura militar pediram a retirada dos nomes.

Quando um processo é instaurado no Conselho de Ética, três nomes do colegiado são sorteados como possíveis relatores. É a partir dessa lista tríplice que o presidente do conselho, Paulo Azi (União-BA), escolhe o relator do processo.

Em abril, a jornalista compartilhou um artigo em que classificou o presidente Jair Bolsonaro como um inimigo confesso da democracia. Ela comentava declarações recentes de ataque de Bolsonaro às instituições democráticas.

Nas redes sociais, Eduardo Bolsonaro , filho do presidente, respondeu à publicação: "Ainda com pena da [e acrescentou um emoji de cobra]".

Miriam Leitão foi presa e torturada pelo governo militar durante a ditadura. A jornalista estava grávida. Em uma das sessões de tortura foi deixada nua em uma sala escura com uma cobra.

Após a publicação de Eduardo Bolsonaro, os partidos PC do B, Rede, PSOL e PT apresentaram representações no Conselho de Ética contra o parlamentar.

Esses pedidos originaram a instauração do processo no último dia 4. Desde o dia 9, os três deputados sorteados começaram a renunciar à relatoria do processo.

Nesse dia, a deputada Vanda Milani (Pros-AC) pediu a retirada do nome por já ter sido sorteada para concorrer à relatoria de outros quatro processos.

No dia seguinta, Mauro Lopes (PP-MG) alegou a possibilidade de "suspeição" caso se tornasse relator por ser "conterrâneo" de Miriam Leitão. Ambos são nascidos em Minas Gerais.

Na última quarta-feira (11), o deputado Pinheirinho (PP-MG) também pediu a retirada do nome da lista tríplice, mas no sistema não consta o motivo.

Diante das desistências, o presidente do colegiado sorteou, na última quarta-feira (11), outros três nomes como potenciais relatores: Adolfo Viana (PSDB-BA); Hiran Gonçalves (PP-RR); e Tiago Mitraud (Novo-MG). O relator do caso ainda não foi designado.

Eduardo Bolsonaro já teve outros quatro processos arquivados no Conselho de Ética da Câmara — dois no ano passado e dois em 2017. Um dos processos arquivados em 2021 tratava de declarações a favor do AI-5, instrumento mais duro da ditadura militar.

Deixe seu Comentário

Leia Também

REGIÃO

Agente penitenciário preso em operação contra o PCC é demitido

LEI SECA

Fux vota pela manutenção de multa a motorista que recusa bafômetro

Polícia encontra mais de meia tonelada de maconha em milharal
PONTA PORÃ

Polícia encontra mais de meia tonelada de maconha em milharal

BENEFÍCIO

Bolsonaro sanciona Auxílio Brasil com valor mínimo de R$ 400

TRÊS LAGOAS

Mulher tenta matar namorado após ele tentar terminar relação

UFGD

Mostra Radioteatro Experience acontece sábado em Dourados

CAMPO GRANDE

Madeireira é lacrada após denúncias de carga ilegal de madeira

ELEIÇÕES 2022

Após reunião, partidos da 3ª via adiam anúncio de candidato único

GERAL

Após denúncia Procon encontra alimentos vencidos em supermercado

ESTATAL DE ENERGIA

TCU autoriza venda da Eletrobras, a 1ª grande privatização de Bolsonaro

Mais Lidas

PEDRO JUAN CABALLERO

Dupla é executada em pátio de posto de combustíveis

IDENTIFICADO E PRESO

Quarto envolvido em roubo de joalheria saiu de Dourados para dar apoio aos assaltantes

DOURADOS 

Jovens presos por tráfico vendiam drogas para público universitário

FRONTEIRA

Prefeito de Pedro Juan é alvo de atentado a tiros