Menu
Busca terça, 22 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
CAMPO GRANDE

Cras realiza procedimento inédito de implante de bico em arara-canindé

08 março 2020 - 16h00Por Da redação

 Mato Grosso do Sul novamente se destaca no suporte à vida selvagem. Veterinários do Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) realizaram no último fim de semana um procedimento cirúrgico inédito de implante de bico em uma arara-canindé adulta. A ave foi encontrada na região urbana de Campo Grande com ferimento grave e foi resgatada pela PMA (Polícia Militar Ambiental).

De acordo com o veterinário Lucas Cazati, que coordenou a equipe de cirurgia, o animal é uma possível vítima de atropelamento e foi encaminhado ao Cras em 28 de fevereiro. “Ela chegou com muito sangramento e desde a sua entrada no Cras, até a cirurgia, o trabalho se concentrou em tirá-la da situação de risco. Realizamos todo um procedimento terapêutico, submetemos a exames de raios-x e ultrassom, o que nos permitiu um diagnóstico favorável à cirurgia”, explicou.

Foi realizado um enxerto heterólogo, que consiste no transplante de um indivíduo de uma espécie para outra. “Nós já havíamos realizado pequenas cirurgias de reparo em casco de jaboti, mas o procedimento na arara foi mais complexo. Utilizamos um bico de animal já falecido, que foi recortado, ajustado com resina de dentista e fixado com parafusos ortopédicos, de forma que a arara fique bem e consiga se alimentar”, acrescentou Cazati.

O procedimento cirúrgico durou 1h30, até a colocação, e envolveu uma equipe multidisciplinar do Cras, com os médicos veterinários Lucas Cazati (cirurgião), Aline Duarte, Diogo Borges e Heitor Corrêa Lopes, além dos biólogos Allyson favero e Márcia Delmondes e a zootecnista Claudia Medina. “Importante ressaltar a parceria com a FAMEZ, da UFMS. O Setor de radiologia veterinária nos atende sempre que necessitamos com os exames de imagem”, lembra Lucas.

A arara segue em tratamento e acompanhamento dos veterinários. No processo de adaptação, será alimentada com alimentos mais macios, como o mamão e outras frutas. “É um período que exige cuidados, mas nosso prognóstico é de que em até 2 meses ela poderá ter condições de voltar à natureza”, disse o veterinário do Cras.

A realização do procedimento incentivou a criação de “banco de bicos” para atender aves que são vítimas desse tipo de ferimento, mutilação ou avaria no bico. “Aqui no Cras, nós recebemos muitas aves com o bico quebrado. Queremos agora dar início a um banco de bicos. Também vamos compartilhar essa experiência com a comunidade científica, por meio de artigo científico”, finalizou Lucas Cazati.

O Cras está localizado no Parque Estadual do Prosa e é uma coordenadoria da Gerência de Recursos Pesqueiros e Fauna do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), órgão vinculado à Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

Deixe seu Comentário

Leia Também

AJUDA NA PANDEMIA
Caixa libera hoje saques do auxílio emergencial para mais 3,6 milhões
REFORMA
Governo promove melhorias na 2ª Delegacia da Polícia Civil de Dourados
TV DOURADOS NEWS
Clientes já podem pagar guias com cartões de débito no Detran em Dourados
FRONTEIRA
Homens mortos em confronto com o DOF haviam feito família refém
UEMS
Eleições para Comissão Permanente terminam nesta terça-feira
NAÇÕES UNIDAS
Bolsonaro abre hoje Assembleia Geral da ONU com vídeo gravado
EMPREGO
Governo inicia mais uma posse de servidores aprovados na Agepen
Recepcionista é furtada e faz postagem no Facebook para achar moto
TEMPO
Terça-feira de sol com algumas nuvens em Dourados; não chove
NEGÓCIOS & CIA
Plano de carreira ou plano de vida: quando o propósito da marca é inclusivo

Mais Lidas

DOURADOS
Motorista bêbado atropela cinco pessoas que voltavam da igreja no Novo Horizonte
ESTADO
Confraternização em fazenda termina com tragédia após briga familiar
TRAGÉDIA
Bombeiro em Dourados morre durante acidente em Santa Catarina
DOURADOS
Amigos e familiares de entregador morto em acidente pedem que justiça seja feita