Menu
Busca quinta, 02 de julho de 2020
(67) 99659-5905
ECONOMIA

Condel aprova mais de R$ 2 bilhões do FCO para financiar empreendimentos no MS em 2020

03 dezembro 2019 - 11h54Por Da Redação

O Conselho Deliberativo (Condel) da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) aprovou nesta segunda-feira (2) a programação orçamentária para o FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) 2020. Mato Grosso do Sul terá 24% do total, sendo mais de R$ 2 bilhões em recursos para contratação pelos setores rural e empresarial.

O Estado terá R$ 1,710 bilhão em recursos operacionalizados pelo Banco do Brasil, além de R$ 201,2 milhões que poderão ser financiados por bancos cooperativas (ação que depende de mudança de legislação federal para vigorar) e R$ 100,6 milhões contratados via BRDE.

Titular da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), o secretário Jaime Verruck e presidente CEIF/FCO (Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo FCO) destaca que o FCO se mantém como a principal fonte de financiamento do desenvolvimento do Estado, com foco no crescimento das Micro e Pequenas Empresas.

“O FCO tem como objetivo reduzir as desigualdades e contribuir para o desenvolvimento dos municípios e estados do Centro-Oeste e em Mato Grosso do Sul tem sido principal agente de financiamento nos últimos anos, com grande participação das pequenas empresas que são parte ativa do desenvolvimento econômico estadual”, destacou o secretário.

Entre as prioridades setoriais estão a contratação para produções que agreguem valor à cadeia alimentícia, integração lavoura-pecuária no rural, investimento em tecnologia, biossegurança e turismo. Já nas prioridades espaciais, estão os municípios localizados na faixa de fronteira e de média renda.

O superintendente de Indústria, Comércio e Serviços da Semagro, Bruno Gouveia, explica que as adequações para 2020 ajudam a manter o nível de operacionalização do FCO. “A partir de agora todas as operações com valor acima de R$ 500 mil terão que passar pelo CEIF, que faz reuniões a cada 15 dias para avaliar os processos que chegam”.

O FCO rural pode ser contratado em duas modalidades, com taxa de juros pré e pós fixada. Apesar da possibilidade, 100% das operações do FCO rural em 2019 foram feitas com taxas pré-fixadas, que variam de 5,21% a 8% ao ano, conforme o porte da empresa e a linha contratada. No empresarial, a taxa de juros é pós-fixada.

Os recursos do FCO são administrados pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e concedidos por meio do Banco do Brasil, aquecendo a economia, gerando emprego e renda na região. Possibilitam o financiamento de projetos para abertura do próprio negócio, investimentos para expansão das atividades, aquisição de estoque e até para custeio de gastos gerais relacionados à administração – aluguel, folha de pagamento, despesas com água, energia e telefone.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

LEGISLATIVO DE MS
Projeto obrigando bares e restaurantes disponibilizarem cardápios em braile será votada hoje
MARACAJU
Mulher ameaça se jogar de ponte e é salva por PM’s
ARTIGO
Inversão de valores
DOURADOS
Mulher tem moto furtada em estacionamento de condomínio
DOURADOS
MPE questiona poder público sobre servidores cedidos para partidos políticos
PONTA PORÃ
Após perseguição e disparos, veículo é apreendido com mais de 1t de maconha
20 VEÍCULOS
"Bonde do contrabando" é apreendido abarrotado de produtos do Paraguai
TV DOURADOS NEWS
Caixa Econômica Federal registra casos de coronavírus em Dourados e Rio Brilhante
CÂMARA DE DOURADOS
Julgamento de denúncia sobre ‘rachadinha’ douradense é adiado por causa da pandemia
BRASIL
Hoje é o último dia para pedir o auxílio emergencial

Mais Lidas

REGIÃO
'Ciclone bomba' traz ventos fortes e alertas de granizo, chuvas e queda de temperatura a Dourados
PANDEMIA
MS soma mais cinco mortes de coronavírus; morador de rua douradense é uma das vítimas
POLÍCIA
Dupla é presa por tráfico de drogas no Dioclécio Artuzi
PANDEMIA
Dourados tem quatro mortes por Covid em 24 horas, uma das vítimas médico