Menu
Busca segunda, 20 de setembro de 2021
(67) 99257-3397
ITINERANTE

Capital tem primeiro museu do videogame do país

11 agosto 2014 - 11h56

Atari, 'Nintendinho', Master System, Mega Drive, Nintendo 64, Sega Saturn, Dreamcast, Game Cube, Xbox, Playstation 1. É raro encontrar alguém com menos de 40 anos que já não tenha jogado ou pelo acompanhado alguém jogar alguns dos videogames clássicos que fizeram história no Brasil e no mundo. Jogos como River Raid, Enduro, Pac-Man, Super Mario Bros, The Legend of Zelda, Donkey Kong, Sonic, Alex Kid, Top Gear, Street Fighter, Mortal Kombat, Final Fantasy, Castlevania, entre muitos outros, ficaram marcados na infância e adolescência de milhões de pessoas. E mesmo com a nova geração de videogames, são muitos que ainda cultivam boas lembranças dos aparelhos de 2, 8, 16, 32, 64 ou 128 bits.

E para aqueles que curtem jogos eletrônicos de todas as épocas, a boa notícia é que o Ibram – Instituto Brasileiro de Museus (www.museus.gov.br) acaba de mapear o primeiro Museu do Videogame do país.

Criado há cinco anos pelo jornalista e curador, Cleidson Lima, o Museu do Videogame Itinerante, que nasceu em Campo Grande e não tem um local fixo, passará este ano a visitar cidades de todos os estados do Brasil.

Desde 2011, mais de 450 mil pessoas conheceram o acervo que é exposto apenas durante 15 dias do ano, na capital de Mato Grosso do Sul. Em fevereiro deste ano, mais de 160 mil pessoas visitaram a exposição num shopping da Capital e que contou com apoio da PlayStation Brasil, Intel, Ubisoft, Oi e Kingston.

Devido ao grande número de pedidos, toda a coleção ganhará o país por meio de parcerias e patrocínios de shoppings, instituições e empresas privadas. Já estão previstas exposições em Fortaleza, Belém, São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Salvador, entre outras. Esses apoios possibilitarão que as exposições sejam gratuitas para o público em geral.

De acordo com Cleidson Lima, os visitantes encontrarão mais de 200 consoles de todas as gerações nos últimos 42 anos. Entre as relíquias estão o primeiro console fabricado no mundo, o Magnavox Odyssey, de 1972; o Atari Pong (primeiro console doméstico da Atari), de 1976; Fairchild Channel F, de 1976 (primeiro console a usar cartuchos de jogos); o Telejogo Philco Ford, de 1977 (o primeiro videogame fabricado no Brasil); o Nintendo Virtual Boy, de 1995 (primeiro a rodar jogos 3D); o Vectrex, de 1982 (console com jogos vetoriais que já vinha com monitor); o Microvision (primeiro portátil a usar cartucho), de 1979 e o R.O.B (robozinho lançado juntamente com o Nintendo 8 bits, em 1985).

E as raridades não param por aí. Há itens realmente desconhecidos até mesmo para alguns colecionadores, como o Coleco Telstar Arcade, de 1977. Lançado na era pong, o console era triangular e cada um dos seus lados tinha um controle diferente. Seguindo a mesma linha, o Museu do Videogame Itinerante traz o Coleco Telstar Combat, de 1977, que tinha como foco o público que gostava de tanques de guerra. Outro videogame do acervo, o Action Max, de 1987, trazia jogos de tiro em fitas de videocassete. Os curiosos também podem curtir o Bandai Pip Pin Atmark, o único videogame criado pela Apple, em 1995. Todos os itens trazem informações com nome, data de lançamento e detalhes técnicos do videogame. Alguns consoles antigos trazem também vídeos com comerciais de época e detalhes de como funcionavam.

Um dos diferenciais do Museu do Videogame Itinerante é que, além de conhecer consoles e jogos raros, os visitantes também podem jogar em alguns videogames que fizeram história, tais como o Telejogo Philco-Ford (1977), Atari 2600 (1976), Nintendinho 8 bits (1985), Master System (1986), Mega Drive (1988), Super Nintendo (1990), Nintendo 64 (1996), Game Cube (2001), Sega Dreamcast (1998), Xbox (2001), Playstation 1 (1994), entre outros.

“O objetivo do Museu do Videogame Itinerante é mostrar ao público que os jogos eletrônicos precisam ser reconhecidos também como história, cultura e arte. Para as novas gerações de consoles existirem, como PlayStation 4, Xbox One, Wii U, entre outros, houve mais de quatro décadas de evolução”, explica.

Deixe seu Comentário

Leia Também

IMUNIZANTE
Covid: Brasil recebe mais 2,2 milhões de doses da vacina Pfizer
EMPREGO
Funtrab oferece quase 2 mil vagas nesta segunda, 251 em Dourados
Mortos a tiros e jogados em terreno baldio na fronteira eram irmãos
TEMPO
Segunda-feira de sol com algumas nuvens em Dourados; não chove
Auxílio emergencial volta a ser pago na terça para nascidos em Janeiro
ECONOMIA
Auxílio emergencial volta a ser pago na terça para nascidos em Janeiro
PANDEMIA
Justiça proíbe pai não vacinado para covid de visitar filha
POLÍCIA
Polícia prende acusado de matar rapaz a tiros em possível acerto de contas
POLÍCIA
Dois homens são mortos a tiros e tem corpos jogados em terreno baldio na fronteira
OPORTUNIDADE
Conselho Regional de Arquitetura prorroga inscrições de concurso até outubro
BRASIL
Crise hídrica: chuvas da primavera não vão encher reservatórios

Mais Lidas

'AMIGÃO'
Bêbado bate carro e deixa amigo ferido em canteiro
EVENTO CLANDESTINO
PM encerra festa com pelo menos 2 mil pessoas em Dourados
POLO INDUSTRIAL
Expansão industrial impulsiona investimentos logísticos em Dourados
LOTERIA
Douradense fatura R$ 31 mil ao acertar na quina