Menu
Busca quarta, 25 de novembro de 2020
(67) 99659-5905
JUSTIÇA

Cabeleireira condenada por matar manicure tem pena mínima negada

28 fevereiro 2020 - 12h05Por Da Redação

Por unanimidade, os desembargadores da 2ª Seção Criminal julgaram parcialmente procedente a revisão criminal interposta por uma cabeleireira, condenada a 16 anos de reclusão, 1 ano e 2 meses de detenção e ao pagamento de 10 dias-multa pelo assassinato de uma manicure.
 
A cabeleireira sustenta ter havido desrespeito ao princípio da proporcionalidade na fixação da pena-base e que a redução pelo reconhecimento das atenuantes de confissão espontânea e menoridade relativa se deu de modo desproporcional.
 
A defesa requereu a revisão da dosimetria no que tange à conduta social e personalidade da ré, com a redução da pena-base ao mínimo legal, bem como para aumentar o patamar de redução de pena para 2/6 pela incidência da confissão e da menoridade. Subsidiariamente, buscou a aplicação do redutor de 1/6 para cada atenuante.
 
Consta do processo que a ré foi condenada pelo crime previsto no art. 121, §2º, incisos I e IV, do Código Penal, em concurso material com art. 12, da Lei nº 10.826/2003, porque na tarde do dia 15 de janeiro de 2016, na região conhecida como “Cachoeira do Ceuzinho”, na Capital, agindo em concurso com outra mulher e uma adolescente, a ré desferiu três tiros na manicure, tendo um deles atingido o maxilar da vítima, resultando em sua queda no precipício e consequente morte.
 
O relator do processo, Des. Jairo Roberto de Quadros, lembrou que somente se admite a revisão nas hipóteses do art. 621 do Código de Processo Penal, que dispõe sobre a revisão de processos findos, e citou que independentemente do posicionamento a ser adotado em relação ao mérito, a ré buscou apreciação da dosimetria, matéria possível de ser conhecida de ofício.
 
O desembargador apontou ainda que a mulher que participou do crime com a ré e a adolescente teve embargos infringentes providos para neutralizar as moduladoras de conduta social e personalidade da agente, bem como para aplicar a fração de 1/6 pelo reconhecimento das duas atenuantes.
 
“Mantida a valoração negativa da culpabilidade, não há que se falar na fixação da pena-base em seu mínimo legal. (…) No entanto, verifica-se a possibilidade de se estender nesta revisão os efeitos do acórdão referente ao processo da corré, porque a situação jurídica concernente à dosimetria é idêntica e não existe o caráter exclusivamente pessoal. Logo, conheço da revisão criminal e dou parcial provimento para estender os efeitos dos embargos infringentes em que prevaleceu a fixação do patamar de 1/6 relativo às atenuantes de confissão espontânea e menoridade relativa”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TSE alerta para eleitor não baixar e-Título no dia do segundo turno
BRASIL
TSE alerta para eleitor não baixar e-Título no dia do segundo turno
Aumentar doações de sangue na pandemia é principal desafio no Dia Nacional do Doador
BOA AÇÃO
Aumentar doações de sangue na pandemia é principal desafio no Dia Nacional do Doador
CRIME BÁRBARO
Advogado é preso suspeito de pagar pais para abusar de adolescente
MS confirma quase mil casos de coronavírus e apresenta aumento de 70% nas internações
PANDEMIA 
MS confirma quase mil casos de coronavírus e apresenta aumento de 70% nas internações
Alegando caçar tatu, homem é preso com espingarda de pressão modificada
MACAÚBA
Alegando caçar tatu, homem é preso com espingarda de pressão modificada
ARTIGO
Pais e filhos
SAÚDE
Cassems realiza nona edição do 'Encontro de Gestores de RH' nesta quarta
MS-156
Veículo com 115 kg de maconha pega fogo às margens da rodovia
FUTEBOL
Palmeiras e Inter entram em campo hoje pelas oitavas da Libertadores
DOURADOS 
Foragido, autor de homicídio condenado a 16 anos é preso no Novo Horizonte

Mais Lidas

VIOLÊNCIA
Mulher esfaqueia ex após discussão em hotel no Centro de Dourados
ENTERPRISE
Operação contra tráfico internacional de cocaína cumpre mandado de prisão em Dourados
CAPITAL
Funcionária de restaurante é presa em flagrante após furtar dinheiro do caixa
CRIME BÁRBARO
Suspeita de esquartejar e colocar corpo de namorado em malas se entrega à polícia