Menu
Busca segunda, 26 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
MANIFESTO

Azambuja e mais seis governadores pedem mais participação do governo federal na segurança

05 janeiro 2018 - 10h46Por Agência Brasil

Governadores de sete estados brasileiros divulgaram na noite desta quinta-feira (5) um manifesto em que solicitam ao governo federal que destine mais recursos à segurança pública. No documento divulgado pela assessoria do governo goiano, os chefes dos Executivos do Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins afirmam que o setor, “particularmente no sistema penitenciário, exige a tomada de providências urgentes por parte do governo federal”.

Na mensagem, Rodrigo Rollemberg (Distrito Federal), Flávio Dino (Maranhão), Pedro Taques (Mato Grosso), Reinaldo Azambuja (Mato Grosso do Sul), Confúcio Moura (Rondônia) e Marcelo Miranda (Tocantins) endossam parte das críticas feitas nos últimos dias pelo governador goiano, Marconi Perillo, como a falta de vigilância qualificada nas fronteiras do país para coibir os crimes relacionados ao tráfico de armas e drogas e a criação de novas unidades prisionais federais para receber os presos mais perigosos. Desde segunda-feira (1º), três rebeliões foram registradas no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital de Goiás.

Os sete governadores também cobram o imediato descontingenciamento de recursos financeiros do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) que continuam retidos e a adoção de uma legislação mais rígida para a penalização de crimes, com a rediscussão da progressão de regime de penas e a criação de um Fundo Nacional de Segurança Pública.

“Estamos convencidos de que, dessa forma, sobretudo com uma maior participação do governo federal na gestão da segurança pública, os estados poderão avançar na reestruturação do sistema penitenciário”, afirmam os governadores do grupo nomeado como Consórcio Interestadual de desenvolvimento do Brasil Central (BrC), manifestando preocupação com o agravamento da crise da segurança pública no país.

“Os entes federados enfrentam praticamente sozinhos os grandes desafios impostos pelo avanço da criminalidade, sobretudo as ações de grupos organizados para o tráfico de drogas e crimes correlatos”, lembram os governadores, citando o sucateamento das estruturas carcerárias, o número insuficiente de agentes das forças de segurança pública e o que classificam como “leis inadequadas”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Tempestade derrubou mais de 50 árvores e causou prejuízos em 11 casas
PESQUISA
Nasa anuncia descoberta de água em estado líquido na Lua
ARTES MARCIAIS
Atleta de MS conquista dois ouros em nacional de jiu-jitsu
REGIÃO
Homem se hospeda em hotel, comete furto e é preso
MATO GROSSO DO SUL
Publicada pontuação da 2ª etapa do 3º Processo Seletivo para Assessor de Procurador
POLÍTICA
OCDE apresenta relatórios sobre era digital e telecomunicações no país
NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS
Os benefícios de morar em condomínio fechado em Dourados
REGIÃO
Homem é preso após acusação de violência doméstica em Mundo Novo
PORTO MURTINHO
Mais de 700 kg de maconha abandonada às margens de rodovia é apreendida
REGIÃO
Foragido da Justiça é capturado durante patrulha de rotina da PM

Mais Lidas

DOURADOS
Guarda encerra festa organizada por adolescente em plena pandemia, apreende droga e até arma artesanal
DOURADOS
PM é acionada e consegue evitar suicídio de homem em hotel
DOURADOS
Homem invade casa, tenta estuprar jovem e é detido por populares
DOURADOS
Homem é socorrido às pressas após levar golpes de facão na cabeça