Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
ÔNIBUS INTERMUNICIPAIS

Autorizado por lei, transporte de cães e gatos deve seguir regras; confira

30 dezembro 2017 - 09h30

Uma nova lei criada em Mato Grosso do Sul no segundo semestre deste ano permite o transporte de pequenos animais domésticos nos ônibus das linhas intermunicipais. A regra vale para cães e gatos.

Responsável pela regulação e fiscalização do serviço de ônibus rodoviários no Estado, a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos (Agepan) está elaborando um normativo que vai detalhar alguns procedimentos para que esse transporte possa ser feito.

Conforme a Lei Estadual n° 5.055, de 06 setembro de 2017, cães e gatos pesando até 10 quilos podem ser levados na cabine de passageiros. Essa medida já está valendo, mas é importante o dono do animal observar as condições obrigatórias para usufruir do serviço.

O transporte dever ser feito em caixa apropriada e sem causar desconforto aos demais passageiros.

A caixa deverá ser transportada em poltrona exclusiva, paga pelo proprietário, com tarifa normal da linha.

Para embarcar é preciso apresentar: atestado de saúde, emitido por médico veterinário no período de 15 dias antes da viagem; carteira de vacinação atualizada, onde constem as vacinas antirrábica e polivalente; e plaqueta de identificação com o nome e o telefone do proprietário. O animal precisa estar devidamente higienizado.

O limite máximo por veículo é de dois animais transportados simultaneamente na cabine.

Animais maiores

Já os animais de mais de dez quilos não podem ser levados na cabine de passageiros. Por isso, a regra para esse transporte tem prazo maior para entrar em vigor, porque depende da adequação no compartimento de bagagens dos ônibus.

Conforme a lei, as empresas têm prazo até 11 de setembro de 2018 para promover a adaptação que comporte a oferta do serviço.

As exigências de atestado de saúde e carteira de vacinação e de plaqueta de identificação são as mesmas dos animais de pequeno porte.

Mais

A empresa transportadora poderá recusar o embarque de animal que estiver visivelmente debilitado, ferido, doente ou em adiantado estado de gestação.

A empresa também poderá restringir o transporte na cabine de passageiros aos horários de menor movimento, nos casos de picos na demanda.

Cão-guia

O embarque de cão-guia acompanhando passageiro deficiente visual é garantido, independentemente do peso do animal e isento do pagamento de tarifa, sem restrições quanto ao número de animais existentes a bordo. Esse é um direito já assegurado pela Lei Federal nº 11.126/2005.

Para o esclarecimento de dúvidas ou registro de reclamações, os passageiros podem falar com a Ouvidoria da Agepan, pelo telefone 0800 600 0506, o e-mail ouvidoria@agepan.ms.gov.br, ou por formulário no site www.agepan.ms.gov.br. O atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 13h30.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Dono de lanchonete reage e consegue tirar faca de assaltante
LEGISLATIVO DE MS
Pautados para a Ordem do Dia desta quinta-feira quatro projetos
DOURADOS
Homem morre no Hospital da Vida cinco dias após queda de moto
BR-267
Jovem é flagrada transportando droga presa ao corpo em MS
CAPITAL
Durante roubo de moto, homem é feito refém e ameaçado com espada
FUTEBOL
Time de MS se complica no Brasileiro Feminino após nova derrota
MARACAJU
Casal é flagrado carregando maconha em ônibus
DOURADOS
Agesul assina R$ 10 milhões em contratos para revitalizar quadrilátero central
DOURADOS
Arma é apreendida em residência após mandado de busca e apreensão
CLIMA
Após madrugada de ventos fortes e chuva, Dourados tem novo alerta de tempestade

Mais Lidas

DOURADOS
Enquanto filma chuva, interno mostra ‘plantação’ de maconha em cela da PED
BR-463
Homem para carro em bloqueio, desce atirando e morre em confronto com a polícia
PANDEMIA
Menino de 5 anos é a primeira criança a morrer de coronavírus em MS
PROCURADO
Acusado pela morte de ator falsificou documento e disse ter nascido em MS