Menu
Busca sexta, 15 de outubro de 2021
(67) 99257-3397
CAMPO GRANDE

Assassino de motorista de aplicativo é condenado a 18 anos

17 novembro 2020 - 16h18Por Da Redação/TJMS

O réu julgado nesta terça-feira (17), na 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, foi considerado culpado pelo Conselho de Sentença e condenado a 15 anos de reclusão pelo homicídio e a três anos de reclusão e 10 dias multa por porte ilegal de arma de fogo. 

No total, o assassino de um motorista de aplicativo na Capital foi condenado a 18 anos de reclusão e 10 dias multa. Na sentença está registrado que a condenação foi pelo crime de porte ilegal de arma de fogo e homicídio qualificado, por motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima.

De acordo com a denúncia, o réu matou um motorista de aplicativo por ciúmes da esposa. O acusado disparou contra a vítima enquanto ele esperava a solicitação de um novo passageiro. Consta nos autos que na noite do dia 13 de maio de 2019, o réu e a esposa gestante foram até a UPA do bairro Universitário e solicitaram um motorista, via aplicativo de transporte, a fim de retornarem para casa. 

Assim que entraram no carro do prestador designado para atendê-los, segundo a denúncia, este teria feito um comentário sobre como o frio que estava fazendo naquela noite era bom pra dormir e “fazer amorzinho gostoso”.

Enciumado com o comentário e acreditando que o motorista flertava com sua esposa, assim que chegaram no condomínio onde morava no bairro Jardim Campo Nobre, o réu  foi até sua unidade residencial, apoderou-se de uma arma de fogo que possuía e retornou. Ele encontrou o motorista ainda estacionado em frente a sua moradia, pois estava esperando outro cliente pelo aplicativo, e efetuou dois disparos, ceifando a vida da vítima no próprio local.

Para realização da sessão de julgamento observou-se o cumprimento das regras de biossegurança previstas no plano do Poder Judiciário, de forma que o acesso ao plenário do júri durante o julgamento ficou restrito às partes envolvidas na sua realização. 

O juiz da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Carlos Alberto Garcete de Almeida, fez o pregão de jurados do lado de fora do prédio para garantir mais segurança aos envolvidos. A sessão de julgamento começou às 8 horas.

O julgamento chegou a ser marcado para o dia 4 de agosto, entretanto, a prorrogação do regime de plantão extraordinário no âmbito do Poder Judiciário à época, impediu que fosse realizado. Posteriormente, foi designado para o dia 15 de setembro, contudo, precisou ser cancelado outra vez, em razão do réu ter contratado advogado particular às vésperas do julgamento. Por fim, foi agendado para esta terça-feira (17). 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Após queda de árvores, Alan cita maior atenção para plano de arborização de Dourados
TEMPESTADE
Após queda de árvores, Alan cita maior atenção para plano de arborização de Dourados
Temporal deixou casas destelhadas e derrubou mais de 100 árvores em Dourados
CLIMA
Temporal deixou casas destelhadas e derrubou mais de 100 árvores em Dourados
AUTOMOBILISMO
Fórmula 1 anuncia temporada 2022 com recorde de 23 corridas
BRASIL
Butantan recebe autorização para iniciar testes de soro anti-covid
Após tentativa de fuga, mulher entrega casal de traficantes que acaba preso
AQUIDAUANA
Após tentativa de fuga, mulher entrega casal de traficantes que acaba preso
REGIÃO
Acusado de distribuir cocaína para traficantes menores é preso
ANASTÁCIO
Em atitude suspeita, jovem acaba presa por receptação
BRASIL
CPI da Pandemia redefine último dia de depoimentos na semana que vem
DOURADOS
Com instabilidade na rede elétrica, central de vacinação interrompe serviços
TEMPORAL
Ruas são interditadas em Dourados após vendaval; veja quais

Mais Lidas

DOURADOS
Polícia indicia três e recupera R$ 32 milhões de golpe milionário em empresa
FRONTEIRA
"Olheiro" de vítimas da chacina em Pedro Juan é preso
VIOLÊNCIA
Ataque na fronteira deixa um morto e dois feridos, entre eles vereador
CLIMA
Chuva e ventos fortes derrubam árvores em Dourados e causam estragos em posto da PRF