Menu
Busca quinta, 22 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
RESSOCIALIZAÇÃO

Ações de promoção social ajudam a transformam vidas em presídios de MS

29 dezembro 2017 - 15h50

A Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) obteve conquistas importantes na área de Promoção Social neste ano de 2017, conforme relatório qualitativo apresentado pela divisão responsável na instituição, que é subordinada à Diretoria de Assistência Penitenciária (DAP).

Entre os principais avanços está a ampliação do trabalho sistematizado de enfrentamento à dependência química junto a reeducandos em unidades prisionais de Mato Grosso do Sul. O trabalho é baseado nos 12 Passos dos Narcóticos Anônimos e na dialética do “ensinar-aprender”, proporcionando uma interação entre as pessoas, na qual tanto aprendem como também são sujeitos do saber, mesmo que seja apenas pela própria experiência de vida.

Este ano, o projeto foi efetivado em todos os presídios de regime fechado e semiaberto de Campo Grande, além de ter sido realizado também em estabelecimentos prisionais de Aquidauana, Bataguassu, Dois Irmãos do Buriti, Dourados, Jardim, Naviraí, Rio Brilhante e Três Lagoas. “Estamos em fase de implantação do projeto também em unidades de Nova Andradina e Paranaíba”, informa a chefe da Divisão de Promoção Social da Agepen, Alessandra Siqueira.

Para o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, a importância dada aos grupos de enfrentamento de dependência química dentro do sistema penitenciário do Estado é um grande diferencial. “O foco é proporcionar mudanças na vida de muitos internos, mesmo porque é um momento de conscientização sobre o uso abusivo das drogas e suas consequências negativas”, ressalta

 Religião e Assistência

No campo de assistência material e religiosa também foram registradas muitas ações em 2017, inclusive uma parte considerável delas em conjunto entre as duas frentes, segundo o relatório qualitativo da Divisão de Promoção Social.

Atualmente, 132 agentes religiosos voluntários, de 17 religiões credenciadas junto à Agepen, prestam assistência em unidades prisionais.

Com a participação das instituições religiosas, a Agepen conseguiu um importante reforço com a 2ª campanha de inverno, arrecadando mais de 5 mil peças, entre agasalhos, cobertores e calçados, distribuídos para os detentos mais carentes ou que não recebem ajuda de familiares.

Além disso, a parceria com as religiões, que já levam assistência espiritual aos detentos, garantiu reestruturação de espaços multiuso no Centro de Triagem Anísio Lima e Semiaberto Feminino, ambos na capital, garantindo um local para a realização de cursos, palestras, atividades religiosas e laborais; além da reforma das salas, as igrejas contribuíram com doações de equipamentos como caixas de som, ar condicionado e máquinas de costura.

Os agentes religiosos também promoveram palestras voltadas a assuntos diversos, como saúde, bem-estar, autoestima, higiene etc. Participaram as ações a Igreja Universal do reino de Deus, Assembleia de Deus Missões e Pastoral Carcerária e a Verbo da Vida.

Inclusão Social

No campo da promoção social, a Agepen conta com o trabalho de assistentes sociais e psicólogos de carreira que atuam nas unidades da capital e interior. Os atendimentos vão desde procedimentos de inclusão social até a orientação social e/ou psicológica, encaminhamentos, solicitações de documentação pessoal, contatos telefônicos diversos, acompanhamento da evolução escolar, inclusão ao trabalho intramuros e, no caso de unidades de regime semiaberto, aberto e patronatos, encaminhamento, acompanhamento no trabalho extramuros e assistência e orientação à família.

Um dos focos do trabalho é a chamada “inclusão social”, realizada logo que que se inicia a custódia no presídio, na qual o assistente social ou psicólogo realiza a escuta qualificada e entrevista ao interno, detectando quais são as necessidades.

Na inclusão social, o profissional identifica, por exemplo, se o interno tem interesse em dar comunidade aos estudos, se necessita da continuidade em algum tratamento, ou faz uso de medicação controlada como psicotrópicos, remédios para hipertensão etc. A partir desse atendimento inicial, as assistentes sociais e psicólogas conseguem uma melhor individualização na assistência prestada.

Ações para 2018

Para o próximo ano, uma das expectativas, para o primeiro trimestre, está a visita de uma equipe do Departamento penitenciário Nacional (Depen) com o objetivo de implementar estratégias para o projeto “Identidade Cidadã”, no sentido de ampliar a aquisição de certidão de nascimento das pessoas encarceradas no estado.

Nesse sentido, também já está em andamento, para concretização em 2018, uma campanha entre a Agepen e a Igreja Universal para a confecção de segundas vias do documento, com a previsão de confecção de, aproximadamente 30 RGs, para reeducandos do regime semiaberto, que não dispõem de condições para arcarem com os custos.

Outra iniciativa prevista é o trabalho conjunto com a Unicesumar para a realização de estágios de estudantes em unidades prisionais. Uma palestra está programada para ocorrer no início do ano letivo, com intuito de desmistificar o ambiente prisional entre os alunos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PARAGUAI
Ministra fecha presídio onde filha de servidor tentou entrar com dinamite
CONFRONTO DE VERSÕES
PGR diz que Flávio Bolsonaro não cometeu crime ao faltar à acareação
IVINHEMA
Homem procura delegacia após ser ameaçado pela esposa, 'vou te matar'
UEMS
Simpósio de Ensino em Saúde debate enfrentamentos e resiliência na área
TJ/MS
Queda de produtos da prateleira gera indenização de R$ 8 mil a mãe e filha
CORONAVÍRUS
Senador Arolde de Oliveira morre no Rio aos 83 anos vítima de Covid
CRIME AMBIENTAL
Trio é autuado em R$ 2,7 mil por pesca ilegal com petrechos proibidos
CORONAVÍRUS
Voluntário do teste da vacina de Oxford que morreu tomou placebo
REGIÃO
Homem é autuado por maus-tratos a cachorros
RELIGIÃO
Papa Francisco defende união civil entre gays: 'São filhos de Deus'

Mais Lidas

DOURADOS
Acidente entre carreta e motocicleta mata mulher na BR-163
HOMICÍDIO EM 2013
Condenada pela morte do ex em Dourados é presa na Capital
DOURADOS
Motorista bêbado causa acidente em semáforo da Avenida Marcelino Pires
DOURADOS
Carona de motociclista que morreu em acidente com carreta corre risco de ter perna amputada