Menu
Busca terça, 19 de janeiro de 2021
(67) 99257-3397

400 entidades participaram da Conferência das Cidades em MS

20 setembro 2003 - 15h32

As conferências das cidades envolveram em Mato Grosso do Sul 3,95 mil pessoas, com mais de 250 horas de debate. Segundo o diretor-presidente da Agência de Habitação Popular (Agehab) e coordenador-geral das conferências, Amarildo Cruz, 400 entidades participaram dos eventos, discutindo os problemas urbanos e apresentando soluções. Foram elaboradas 1,53 mil propostas, abrangendo áreas como habitação, saneamento básico (tratamento de esgoto) e transporte urbano.Os itens discutidos nos municípios estão sendo debatidos neste final de semana, em Campo Grande, por 600 delegados que representam 60 cidades sul-mato-grossenses, onde houve as conferências. A Conferência Estadual das Cidades foi aberta ontem à noite, no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, pelo governador Zeca do PT e pelo ministro das Cidades, Olívio Dutra. O evento termina amanhã. Os assuntos que estão sendo discutidos na conferência estadual serão levados à Conferência Nacional das Cidades, que acontece de 23 a 26 de outubro em Brasília. Atuação dos movimentos sociais, entidades de trabalhadores e de empresários, foi lembrada por Olívio Dutra como o principal aspecto das conferências. “Tudo isso forma uma ‘rede’. Temos certeza que esse processo é um ‘rastilho’ [motivação] de cidadania”, definiu. “Essa é uma apropriação pública do estado”, enfatizou.O ministro disse que Mato Grosso do Sul foi um dos estados que mais realizaram conferência nos municípios. “A discussão local dos problemas é muito importante.” Dutra acrescentou que as reuniões municipais foram importantes porque nelas elegeram-se os conselhos das cidades.Segundo o ministro das Cidades, o espaço urbano é a síntese das desigualdades do Brasil. O “inchaço” urbano ocorrido a partir da segunda metade do século XX, contribui para o aumento dos problemas sociais do Brasil. O secretário de Estado de Infra-estrutura e Habitação, Maurício Arruda, “ilustrou” com dados a análise de Olívio Dutra. De acordo com o secretário, 84% da população da área onde hoje é Mato Grosso do Sul viviam na área rural. Nos últimos 30 anos, recorda Arruda, houve inversão. Hoje 84% dos sul-mato-grossenses moram nas cidades.Além de Zeca do PT, do ministro Olívio Dutra, do secretário Maurício Arruda e do diretor-presidente da Agehab, Amarildo Cruz, participaram da abertura da Conferência Estadual das Cidades, prefeitos e autoridades do estado. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

MATO GROSSO DO SUL
Oito trechos da BR-163 operam em pare e siga; veja
Ministério da Saúde conclui distribuição do 1º lote da CoronaVac
BRASIL
Ministério da Saúde conclui distribuição do 1º lote da CoronaVac
Prazos processuais voltam a contar nesta quinta-feira
MS
Prazos processuais voltam a contar nesta quinta-feira
Grupo prioritário: quase 600 indígenas em Dourados já testaram positivo para Covid
IMUNIZAÇÃO
Grupo prioritário: quase 600 indígenas em Dourados já testaram positivo para Covid
Dupla rouba celular, colide moto ao fugir da polícia e um morre
CAPITAL
Dupla rouba celular, colide moto ao fugir da polícia e um morre
IMUNIZAÇÃO
Câmara acompanha início da vacinação contra a Covid-19 em Dourados
REGIÃO
Idosa de 74 anos é a primeira a ser vacinada contra a Covid-19 em Caarapó
DESASTRES NATURAIS
Governo federal reconhece situação de emergência em 9 municípios
INCLUSÃO 
Rio Brilhante mantém professora no comando do Núcleo de Educação Especial
RODOVIAS
Após perseguição, policiais recuperam veículo roubado em distrito de MS

Mais Lidas

DOURADOS
Morto por descarga elétrica pode ter tentado consertar portão
ACIDENTE
Homem morre após sofrer descarga elétrica em Dourados
DOURADOS
Comitê alerta para crescente da Covid e prefeito expede decreto com novas regras
DOURADOS
Em ação conjunta, polícia deflagra operação para investigar crimes