segunda, 27 de maio de 2024
Dourados
13ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Chinês encontrado em coma em presídio morre no Rio

05 setembro 2003 - 06h21

O comerciante chinês Cham Kim Chang, que estava em coma profundo no Hospital Salgado Filho, no Méier, no Rio de Janeiro, morreu na noite de ontem. Chang foi preso no dia 26 de agosto no Aeroporto Internacional Tom Jobim, tentando embarcar para os EUA com US$ 31 mil não-declarados à Receita Federal. Ele foi levado para o Presídio Ary Franco, em Água Santa e, no dia seguinte, mesmo dia em que sua libertação foi determinada pela Justiça, foi encontrado em coma na cela em que estava. A informação foi confirmada pelo diretor do IML (Instituto Médico Legal), Roger Anceloti. De acordo com a rádio CBN, o filho de 13 anos do comerciante embarcou na noite de ontem para os Estados Unidos sem saber da morte do pai. O chefe de Polícia Civil do Rio de Janeiro, delegado Álvaro Lins, transferiu o inquérito que apura a agressão e morte para a Delegacia de Homicídios. A Globonews informou que a governadora Rosinha Matheus pediu rigor na investigação e designou o delegado Marcelo Fernandes, da corregedoria da Polícia Civil, para acompanhar o inquérito. Os primeiros a prestar depoimento serão o diretor do presídio, o major Luiz Gustavo Matias, afastado do cargo desde o di 1º de setembro, o subdiretor, Luiz Torres, e os quatros agentes penitenciários que foram ao IML pedir os endereços dos médicos legistas que fizeram o exame de corpo de delito no comerciante.AgredidoHoje, o secretário de Estado de Direitos Humanos do Rio de Janeiro, João Luís Pinaud, disse não ter dúvidas de que as lesões sofridas pelo comerciante chinês Cham Kim Chang, 46 anos, indicam que ele foi agredido, e não se autolesionou durante uma crise nervosa, como chegou a ser cogitado. A família acusa os policiais de espancamento. Agentes do presídio, ouvidos na terça-feira pela delegada titular da 24ª DP do Rio, Danielle Christine Bessa Netto, haviam afastado a denúncia de espancamento, alegando que o comerciante teria tido um "surto" e batido com a cabeça voluntariamente em um móvel da sala de identificação de presos. Mas o fato de a sala ter sido lavada após o "surto", ou a agressão, reforçam a suspeita de espancamento. O secretário disse que fotos do comerciante mostram que ele estava em posição fetal. Segundo Pinaud, essa posição é característica de quem tenta se defender de uma agressão. O caso está sendo acompanhado de perto pela alta cúpula da Segurança do Rio.     

Deixe seu Comentário

Leia Também

Moraes nega recurso de Bolsonaro contra inelegibilidade

Moraes nega recurso de Bolsonaro contra inelegibilidade

DIREITOS HUMANOS

Brasília recebe primeira Parada do Orgulho da Pessoa com Deficiência

CAMPO GRANDE

Homem é espancado e jogado em buraco durante roubo de carro

Polícia aprende quase 2t de maconha após perseguição
ITAQUIRAÍ

Polícia aprende quase 2t de maconha após perseguição

Caixa Econômica Federal abre edital com vagas para estagiários em MS
OPORTUNIDADE

Caixa Econômica Federal abre edital com vagas para estagiários em MS

TÊNIS DE MESA

Hugo Calderano conquista título do WTT Contender Rio

ALERTA

Com fim de semana de trégua, chuva deve voltar ao RS nesta segunda

ENCHENTES

MS Pela Vida: doações ao povo gaúcho aproximam sul-mato-grossenses de quem perdeu tudo

ESPORTE

Brasil enfrenta Cuba, Croácia e Tailândia na primeira fase da Copa do Mundo de Futsal

MS-164

DOF apreende Renault Sandero com 1.250 pacotes de cigarros contrabandeados

Mais Lidas

DOURADOS

Homem é preso por importunação sexual após acariciar mulheres

TENTATIVA DE FEMINICÍDIO

Morador de Dourados atira contra esposa durante discussão

EVENTO

Costelão Jurídico da OAB Dourados será neste sábado no CTG

REGIÃO 

Empresários são detidos por desvio de energia elétrica após operação do SIG