sexta, 14 de junho de 2024
Dourados
17ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

China proíbe homem de batizar filho de "@"

15 outubro 2004 - 19h07

O governo chinês proibiu um homem de batizar seu filho com o nome "Wang @". O homem, que mora na região central da China, é aficionado pela internet, mas alegou às autoridades outro motivo para chamar seu filho de "@". Segundo ele, a pronúncia de @ (arroba) em chinês lembra a expressão "eu te amo" em chinês. As autoridades locais não se sensibilizaram com o pedido do homem e negaram o registro. De acordo com as leis locais, todos os nomes chineses devem ser registrados em mandarim, idioma oficial da China. Isso significa também que todos os nomes devem conter os ideogramas usados no idioma. A regra vale inclusive para filhos de pais estrangeiros que nascem no país.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AQUIDAUANA

Ladrão invade casa, agride e amarra moradora durante roubo

POLÍTICA

Manifestantes vão às ruas contra PL que equipara aborto a homicídio

BONITO

Com carro furtado, motorista é parado a tiros ao tentar fugir da PM

SALÁRIO DE R$ 7,1 MIL

TJ/MS divulga gabarito oficial e resultado preliminar de concurso

Familiares pedem ajuda para encontrar Marcos Brandão que desaparecido
ORLA MORENA

Familiares pedem ajuda para encontrar Marcos Brandão que desaparecido

ACABOU A FERVURA?

El Niño chega ao fim, mas La Niña vem aí; saiba o que espera

Trabalhador fica ferido após cair em poço de cerca de seis metros

REPATRIADOS

Brasil vai receber da Suíça R$ 155 milhões recuperados de corrupção

CAMPO GRANDE

Homem é preso após fugir com filho e ameaçar atear fogo na casa da ex

JUDICIÁRIO

STJ anula provas contra dois investigados pela Lava Jato

Mais Lidas

HOMICÍDIO 

Douradense é encontrado morto com mãos e pés amarrados no interior do MT

DOURADOS

Interno é encontrado morto de joelhos na PED e caso é investigado

DECISÃO

Mesmo sem duplicação de pontos críticos, pedágios da BR-163 aumentam a partir desta sexta-feira

VENDA DE ALIMENTOS

Ministério Público pede fechamento de cantinas em presídios de MS