Menu
Busca quinta, 25 de fevereiro de 2021
(67) 99257-3397

Carta aberta dos professores de Medicina da UFMS

29 abril 2004 - 12h31

UFMS CURSO DE MEDICINA DE DOURADOS        CARTA ABERTA À POPULAÇÃO                                                                                    “Só a idéia por meio do ser e, ao contrário, só o ser por meio da idéia, é a verdade. (HEGEL, G.W.F.).                    Em respeito à sociedade Douradense que tem dado apoio incondicional à permanência do Curso de Medicina da UFMS neste Campus, como também, aos pais dos alunos que confiaram aos profissionais da saúde que ministram aulas, que ora representam a conceituada Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, vêm por meio deste instrumento de comunicação, dar algumas explicações sobre os acontecimentos no decorrer das manifestações deflagradas em 01/03/04.                   Vale ressaltar que todo o processo de paralisação se deu com o objetivo de alcançar condições que são absolutamente necessárias e imprescindíveis para uma boa formação de cidadãos responsáveis cujo ofício será o de sempre respeitar à vida, se redobrar para amenizar sofrimentos e se aperfeiçoar para conduzir à saúde.                   Não se pouparam esforços para alcançar o órgão máximo do ensino superior no País, o Ministério da Educação (MEC), e quando lá se chegou, pensou-se ter uma boa parcela dos problemas sanados. Muitas reuniões, muitas idas e vindas, reivindicações fidedignas, puramente pedagógicas, poucas respostas. Ações frágeis diante das angústias que se acumularam nesses quatro anos de existência do curso em Dourados.                    Tantos documentos, respostas sempre iguais: “não há verba suficiente”, “não se pode mais permitir abertura de cursos como este”, mas já que está em funcionamento, “ver-se-á o que se pode fazer”.....Promessas......Ilusões.....Empirismo.                   A sociedade optou por oferecer este curso em Dourados, houve uma mobilização social e política para que acontecesse, portanto, não serão aceitas propostas humildes, exigimos soluções audaciosas para conduzi-lo ao lugar de direito.  Ainda que seja uma inovação, mas que tenha o empenho dos órgãos competentes para que não seja apenas cobaia. Mas que se torne, na realidade, um modelo a ser seguido País afora.                   Sendo assim, o que se espera dos Ministérios da Educação e Saúde: 1) Um Hospital Universitário, 100% Público, com atendimento de excelência que atenda não somente ao ensino, mas sobretudo à comunidade, com utilização responsável, que seja parceiro das  ações de saúde que integram a gestão plena. Que esses mesmos órgãos se baseiem em estatísticas atuais e não de outrora e passem a enxergar que as necessidades do município e até mesmo do Estado, demandam aumento de teto financeiro, possibilitando com isso, a abertura de novos leitos hospitalares; 2) Abertura de concurso público federal para que os professores do curso sejam efetivos e possam, definitivamente, se dedicar adequadamente às atividades da docência, pesquisa e extensão, e não apenas, substitutos que têm seus contratos expirados ao término de dois anos, causando uma descontinuidade ao trabalho; 3) Solicitaram-se minimamente algumas ferramentas didáticas e de necessidade para o bom andamento do curso.                   Da Bancada Federal do Mato Grosso do Sul que tanto apóia o Curso e não mede palavras na imprensa escrita, falada e virtual para expressar esse apoio, espera-se a liberação da Emenda de quatro milhões e seiscentos mil reais para o término do prédio “Bloco da Saúde” na Unidade II da UFMS Campus de Dourados, que abrigará cinco salas de aula e oito laboratórios, cuja compra de equipamentos poderia ser iniciada com a liberação desta verba, para que não haja mais necessidade de utilizar laboratórios de outras IES.                  Para finalizar, por entender que o tempo urge e para evitar sérios prejuízos acadêmicos, tomou-se a decisão de retornar às aulas, podendo esta decisão não ser definitiva, caso não sejam atendidas as reivindicações. Entretanto, serão mantidos o estado de sentinela e cobrança das autoridades a quem compete fiscalizar o bom andamento do curso.                                                                   PROFESSORES DA MEDICINA UFMS/Dourados  

Deixe seu Comentário

Leia Também

CHAPADÃO DO SUL
Capataz cai de moto ao sair para trancar porteira e morre no hospital
BRASIL
Bolsonaro entrega projeto que abre caminho para privatização dos Correios
POLÍCIA
Acusado de estupro, vice-presidente da OAB em MS se afasta da função
ECONOMIA
Clientes da Caixa podem acessar serviços do governo pelo aplicativo
TRÊS LAGOAS
Mulher é mantida refém e sofre tentativa de estupro por invasor de casa
MS
Mais de 1,2 mil privados de liberdade realizam o Enem em MS
CRIME AMBIENTAL
Mulher é presa e multada em R$ 2 mil por pescar em local proibido
EMPREGO
Depen suspende provas de concurso público para 309 vagas
CAPITAL
Idoso morre horas após cair quando fazia manutenção em telhado
TECNOLOGIA
Detran/MS agora tem sinal de wi-fi gratuito em agências do interior

Mais Lidas

REGIÃO
Homem é preso após estuprar menina de 11 anos
REGIÃO
Trio de Dourados é preso tentando furtar agência dos Correios de Itaporã
TACURU
Tatuagem ajuda mãe a identificar homem encontrado morto sem a cabeça
BOA AÇÃO
Vítima de golpe, família é ajudada por funcionário de companhia aérea em Campo Grande