segunda, 08 de agosto de 2022
Dourados
22°max
17°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Carlos Nuzman confia no bom senso da IAAF

30 agosto 2004 - 23h52

"Os grandes homens, tomam grandes decisões, nos momentos difíceis". Esta é a expectativa do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman, em relação ao presidente da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), o senegalês Lamine Diack, que será o responsável por analisar a carta conjunta a ser enviada pela entidade e a Confederação Brasileira de Atletismo solicitando a revisão da decisão tomada no encerramento dos Jogos de Atenas com relação ao maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima. O que se deseja é que a medalha de ouro também seja concedida ao brasileiro, prejudicado durante o percurso da prova ao ser atacado por um espectador no 36º km, quando se encontrava na liderança. "Não queremos tirar o ouro do italiano. Mas o Vanderlei Cordeiro  não pode ser penalizado", explicou Carlos Nuzman. Os presidentes do COB, da CBAt, Roberto Gesta, e o próprio atleta concederam entrevista coletiva hoje, na Casa Brasil, em Atenas, para anunciar as próximas ações conjuntas a serem desenvolvidas a fim de garantir a Vanderlei Cordeiro a medalha de ouro. "Inicialmente, vamos mandar uma carta à IAAF dando a entidade a oportunidade de reconhecer o erro ao negar o protesto em favor do atleta", informou Carlos Nuzman. "Esperamos que, de cabeça mais fria, eles revejam a decisão", completou. Mas caso isso não seja feito, o passo seguinte será um recurso ao Tribunal Arbitral do Esporte, em Lausanne, na Suíça. Carlos Nuzman considera um grande erro da organização dos Jogos de Atenas não ter dada as garantias de segurança a um competidor que liderava a maratona por mais de 20 quilômetros. "Não é admissível que o líder da prova não estivesse protegido por dois batedores", declarou o presidente do COB, ressaltando que o incidente embaçou a imagem dos Jogos."Não podemos garantir que o Vanderlei Cordeiro iria ganhar a prova, mas ele foi visivelmente prejudicado na disputa", completou. O Comitê Olímpico Internacional, contudo, mereceu elogios de Carlos Nuzman. Ele destacou o procedimento do presidente do COI, Jacques Rogge, que atrasou a cerimônia de encerramento dos Jogos e a de premiação da maratona para reunir o Conselho Consultivo da entidade para tratar do caso do Vanderlei Cordeiro. "Temos que agradecer e enaltecer o COI pelo respaldo e reconhecimento ao COB, à CBAt e ao movimento olímpico brasileiro. A entidade decidiu conceder a medalha Barão Pierre de Coubertain ao brasileiro pelo fairplay demonstrado durante a disputa", finalizou Carlos Nuzman.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE

Varíola dos macacos: entidades criticam estigma a homossexuais

Homem é espancado em construção abandonada na Capital
POLÍCIA

Homem é espancado em construção abandonada na Capital

GERAL

Justiça nega 'habeas corpus' pedido pela defesa do cônsul alemão

Ladrões invadem empresa e furtam óleo diesel
REGIÃO

Ladrões invadem empresa e furtam óleo diesel

CULTURA

Academia Brasileira de Letras reabre bibliotecas para o público

CAPITAL

Mulher capota veículo e é socorrida pelo Corpo de Bombeiros

DIREITOS HUMANOS

Lei Maria da Penha completa 16 anos neste domingo

POLÍCIA

Foragido da justiça é preso em abordagem na fronteira

POLÍTICA

Eleições 2022 mantém maioria do eleitorado feminina, com 53%

POLÍCIA

Boca de fumo é fechada e traficante preso na fronteira

Mais Lidas

LUTO

Conselho de Agronomia lamenta morte de jovem agrônoma em acidente

Adolescente fica gravemente ferido após caminhonete capotar na MS-141

SUSPEITO FOI PRESO

Casal de idosos é assassinado em residência no centro de Coxim

REGIÃO

Corpo de idoso é encontrado carbonizado em residência destruída por incêndio