Menu
Busca sexta, 07 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Campanha contra racismo reforça direitos dos adolescentes

25 janeiro 2011 - 13h26

O alerta à sociedade sobre os impactos do racismo na infância e adolescência no Brasil e sobre a necessidade de mobilização social que assegure o respeito e a igualdade étnico-racial está na campanha Por uma infância sem racismo, lançada em novembro de 2010. Em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e demais órgãos do Governo Federal, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) chama a atenção dos brasileiros contra a discriminação racial.
A campanha pretende divulgar histórias de pessoas e organizações que tenham realizado uma ação contra o racismo na infância ou adolescência para sensibilizar a sociedade brasileira. Segundo o Unicef, a discriminação persiste no cotidiano de crianças e adolescentes e se reflete nos números da desigualdade entre negros, indígenas e brancos.
Estatísticas – Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE/Pnad 2009) apontam que 57 milhões de crianças e adolescentes vivem no Brasil, e, desse número, 31 milhões são negras e cerca de 100 mil indígenas. Mais de 54% das crianças são negras ou indígenas, 65% das crianças pobres são negras e 26 milhões de crianças brasileiras vivem em famílias pobres. Deste número, 17 milhões são negras.
Ainda pelo IBGE/Pnad, das 530 mil crianças de 7 a 14 anos fora da escola, 330 mil são negras e 190 mil são brancas. Além disso, 62% das crianças fora da escola na faixa de 7 a 14 anos são negras.
Pelos dados de 2009 da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), a taxa de mortalidade infantil (até um ano de vida) entre crianças indígenas é de 41,9 óbitos para cada mil nascidos vivos. A Rede Interagencial de Informações para a Saúde (Ripsa) divulgou em 2007 que a taxa nacional de mortalidade infantil foi de 19 óbitos para cada mil nascidos vivos. Em 2006, dados do Unicef revelaram que os adolescentes negros têm 2,6 vezes mais chances de serem assassinados em comparação aos adolescentes brancos nas cidades com população acima de 100 mil habitantes.
Essas e outras informações estão disponíveis no endereço http://www.infanciasemracismo.org.br. No site, o interessado pode divulgar sua ação ou projeto contra o racismo, além de obter sugestões sobre como enfrentar o problema e denunciar casos de abuso e discriminação. Há ainda endereços e contatos de instituições que se dedicam à garantia da igualdade racial.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agetran faz cerca de 400 abordagens na primeira blitz do Maio Amarelo
DOURADOS
Agetran faz cerca de 400 abordagens na primeira blitz do Maio Amarelo
NAVIRAÍ
Operação multa arrendatário em R$ 12 mil por incêndio em pastagem
IMPEACHMENT
Tribunal absolve governador de Santa Catarina, que reassumirá o cargo
PONTA PORÃ
Baleado, homem cruza fronteira, é socorrido por policiais e morre em hospital
Detran/MS realiza neste sábado mutirão para renovação de CNH
Boliviano líder de grupo atuava no tráfico de cocaína é extraditado ao Brasil
FUTEBOL
Costa Rica faz 3 a 0 no União/ABC e encerra turno do hexagonal na liderança
MEIO AMBIENTE
PMA captura tamanduá-bandeira no banheiro de residência em Itaporã
PANDEMIA SEM CONTROLE
Brasil registra mais 2.217 mortes por Covid e se aproxima de 420 mil
INJÚRIA RACIAL
Copeiro pede demissão e aciona polícia ao ter cabelo comparado a pelos pubianos

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher presa com armas, drogas e veículos mantinha relacionamento com interno da PED
DOURADOS
Pancadaria em motel termina na delegacia com três pessoas detidas
JÓQUEI CLUBE
Jovem é presa em Dourados com armamento de uso restrito, drogas e veículo clonado
DOURADOS
Carga de tijolos cai de caminhão em rotatória na Coronel Ponciano; veja vídeo