Menu
Busca domingo, 24 de outubro de 2021
(67) 99257-3397

Caem mais três ações de fiéis da Universal contra a Folha

26 março 2008 - 16h00

Mais três ações de indenização movidas por seguidores da Igreja Universal do Reino de Deus contra o jornal Folha de S.Paulo e a repórter Elvira Lobato, autora da reportagem intitulada "Universal chega aos 30 anos com império empresarial", publicada em dezembro último, tiveram sentenças favoráveis ao jornal e à jornalista. A informação é do próprio jornal, que das 76 ações ajuizadas, já obteve 18 vitórias.

O juiz de Jaguarão, no Rio Grande do Sul, julgou improcedente o pedido de um pastor e disse que "em nenhum momento (a jornalista) deixou transparecer que a origem dos dízimos, quando repassados pelos fiéis, era ilícita, mas sim a utilização destes, não diretamente com a religião e com a construção de cultos ou coisas que o valha, fosse a utilização levada a efeito pelos dízimos, e sim, a aplicação em paraísos fiscais ou em empresas estranhas ao objeto principal da Igreja Universal, qual seja, o acolhimento e o respeito à crença de seus fiéis".

O juiz entendeu que não ficou comprovado dano moral sofrido pelo autor e também levou em consideração que o jornal não nem circula na cidade.

Em Araguaína, no Estado de Tocantins, o juiz Deusamar Alves Bezerra extinguiu o processo sem julgamento do mérito. O magistrado entendeu que o autor/fiel não tinha legitimidade para propor a ação. "Os fatos alegados dizem respeito à possível má utilização de dízimo da igreja", afirmou o juiz. "Os fiéis teriam legitimidade para propor ação em desfavor da igreja ou de seus dirigentes, caso confirmadas as informações da reportagem", decidiu o magistrado.

O juiz Matias Pires Neto, da comarca de Santana, no Amapá, extinguiu ação movida por Edinei Lacerda de Lima, considerado parte ilegítima para fazer a reclamação: "Em nenhum momento da reportagem há referência à pessoa do reclamante, ainda que como bispo da entidade religiosa".

"Se tal reportagem levou a atos constrangedores praticados por terceiros contra os integrantes ou fiéis da igreja, não se pode atribuir responsabilidade ao jornal requerido e nem à autora da reportagem, e sim àqueles que, donos de seus atos, deixaram-se influenciar negativamente pela reportagem, levando-os a ações que abalaram o requerente", afirmou o magistrado na sentença.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UTI Covid segue com seis internações em Dourados
PANDEMIA
UTI Covid segue com seis internações em Dourados
Vendaval atinge Dourados e deixa rastro de destruição
CLIMA
Vendaval atinge Dourados e deixa rastro de destruição
TST considera fraudulento contrato de jogador e reconhece natureza salarial do direito de imagem
BRASIL
TST considera fraudulento contrato de jogador e reconhece natureza salarial do direito de imagem
LAVA JATO
Justiça Eleitoral vai julgar ação sobre empréstimo de R$ 12 milhões ao banco Schahin
MUNDO
Biden e Macron discutem defesa europeia e se reunirão em Roma
MS
Jovem é autuado pela PMA por maus-tratos a uma cadela Pit Bull
STF
Ministra Cármen Lúcia suspende reintegração de posse em Rondônia
RIO MIRANDA
Catarinenses são multados em R$ 1,8 mil por pesca predatória em Bonito
JUDICIÁRIO
STJ define retorno de sessões presenciais para fevereiro de 2022 e dia de eleição para ministros
CAPITAL
Presidente do TJMS recebe medalhão comemorativo aos 100 anos da Justiça Militar

Mais Lidas

PRESIDENTE VARGAS
Escola dispensa alunos em Dourados após mensagens de ameaças
CÁRCERE PRIVADO
Tentativa de sequestro a criança termina com jovem preso em Dourados
DOURADOS
Print tirado de conversa entre alunos resultou em mal-entendido e levou pânico a escola
DOURADOS
Homem é removido de grupo de whats e procura a delegacia