Menu
Busca sexta, 27 de novembro de 2020
(67) 99659-5905
BALANÇO

Vendas de veículos têm alta de 8,3% de janeiro a novembro

05 dezembro 2019 - 16h20Por Agência Brasil

As vendas de veículos chegaram a 2,53 milhões de unidades de janeiro a novembro, o que representa uma alta de 8,3% na comparação com o mesmo período do ano passado. Em novembro, o número de licenciamentos chegou a 242,3 mil, correspondendo a uma queda de 4,4% ante outubro e elevação de 4,9% ante novembro do ano passado.

Os dados foram divulgados hoje (5) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

A produção aumentou 2,7% no acumulado do ano, com 2,77 milhões de unidades saindo das fábricas. Já na comparação de novembro com outubro houve queda de 21,2%, e em novembro foram fabricadas 227,5 mil unidades ante as 288,5 mil de outubro. Quando comparado com novembro do ano passado a queda foi de 7,1%.

As exportações registram queda de 33,2% no acumulado de janeiro a novembro, com a comercialização de 399,2 mil unidades no mercado externo. No mesmo período do ano passado, as vendas para o exterior totalizaram 597,5 mil veículos. Em novembro, a retração ficou em 7,9% em comparação com o mesmo mês do ano passado, com a exportação de 34,4 mil veículos.

Emprego

O nível de emprego teve retração de 3,7% em novembro deste ano em relação ao mesmo mês do ano passado, com 131,3 mil mil pessoas trabalhando no setor. No acumulado do ano houve queda de 1,0% no número de postos de trabalho.

De acordo com o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, os números confirmam a tendência prevista para o ano de 2019. "Estamos com crescimento de quase 9% no acumulado do ano e a nossa expctativa é a de que essa tendência se confirme com o mês de dezembro indicando que o mercado interno de veículos pode atingir 2,8 milhões de veículos neste ano, com crescimento de 9,1%".

Com relação a 2020 Moraes avalia que pode haver crescimento, considerando a expectativa do crescimento de Produto Interno Bruto (PIB) entre 2% a 2,5%, inflação sob controle e redução da taxa de juros, propenção dos bancos a financiar, indice de inadimplência sob controle.

"Para as exportações não vemos um grande crescimento em 2020. Argentina é o nosso maior mercado e ainda está em uma situação complexa com inflação altaa, juros alto, um novo governo tomando posse. Vemos provavelmente uma establididade nas exportações para 2020."

Deixe seu Comentário

Leia Também

Empresas de turismo são denunciadas por tentar atrair onças com alimentos
MEIO AMBIENTE
Empresas de turismo são denunciadas por tentar atrair onças com alimentos
LEVANTAMENTO
MS tem a sétima menor taxa de desocupação do país
Estadual retorna amanhã com clássico "Comerário" em Campo Grande
FUTEBOL
Estadual retorna amanhã com clássico "Comerário" em Campo Grande
Ex-servidora excluída de plano de saúde tem garantida manutenção como beneficiária
CAMPO GRANDE
Ex-servidora excluída de plano de saúde tem garantida manutenção como beneficiária
Entre aves e mamíferos, mais de 100 animais retornam à natureza após reabilitação no Cras
MEIO AMBIENTE
Entre aves e mamíferos, mais de 100 animais retornam à natureza após reabilitação no Cras
DOURADOS
Com leitos de UTI's lotados, prefeitura aumenta toque de recolher e manda fechar clubes
MAPA DA COVID
Governo classifica Dourados com bandeira vermelha pela terceira semana seguida 
DOURADOS
Às vésperas de dezembro, ainda não há definição sobre horário estendido do comércio
ELEIÇÕES 2020
TSE autoriza tropas federais em duas Capitais no segundo turno
CARTA MARCADA
Gaeco investiga empresas que atuam em prefeituras e Câmaras de MS

Mais Lidas

DOURADOS 
Foragido, autor de homicídio condenado a 16 anos é preso no Novo Horizonte
DOURADOS
Júri condena membros de grupo de extermínio a mais de 100 anos de prisão
PEDRO JUAN
Quatro corpos são encontrados enterrados na fronteira
BONITO
Mãe de bebê também morre após carro bater em coqueiro na MS-382