Menu
Busca sábado, 24 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
PRESIDENTE INVESTIGADO

STF tira do plenário virtual discussão sobre depoimento de Bolsonaro

29 setembro 2020 - 22h20Por G 1

O ministro Celso de Mello decidiu retirar do plenário virtual do STF (Supremo Tribunal Federal), nesta terça-feira, dia 29 de setembro, o recurso que discute se o presidente Jair Bolsonaro pode, ou não, prestar depoimento por escrito no inquérito que apura suposta tentativa de interferência política na Polícia Federal.

Celso de Mello é o relator do inquérito no STF, mas estava afastado por uma licença médica desde o dia 19 de agosto – ele retomou o trabalho na última sexta (25). No mesmo dia, o ministro divulgou que decidiu antecipar sua aposentadoria para o dia 13 de outubro.

Com a decisão do relator, o tema volta para o plenário convencional do Supremo – a data do julgamento ainda não foi definida. Em razão da pandemia, os ministros têm se reunido por videoconferência, mas podem ler os votos, debater e argumentar durante a sessão.

O recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) foi enviado ao plenário virtual pelo foi enviado ao plenário virtual pelo ministro Marco Aurélio Mello, que atuou como relator substituto durante a licença de Celso de Mello.

No plenário virtual, os documentos escritos são apenas depositados no sistema eletrônico, e o resultado é proclamado ao fim do prazo. Pela definição de Marco Aurélio Mello, agora suspensa, o tema seria avaliado entre os dias 2 e 9 de outubro.

O recurso da AGU

A AGU pede, no recurso, que Bolsonaro seja autorizado a prestar depoimento por escrito.

Antes de se afastar do posto, o relator original já tinha negado o depoimento por escrito a Bolsonaro e determinado que o presidente fosse ouvido de forma presencial. Isso porque, na visão de Celso de Mello, o Código de Processo Penal só permite que autoridades enviem posicionamento por escrito quando são testemunhas ou vítimas. Nesse inquérito, Jair Bolsonaro aparece como investigado.

Ao enviar o tema ao plenário virtual, na licença de Celso de Mello, Marco Aurélio também tinha antecipado o próprio posicionamento. O ministro colocou no sistema um voto a favor de que o presidente Jair Bolsonaro preste depoimento por escrito à Polícia Federal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Marcos Pontes participa de publicação científica sobre nitazoxanida
CIÊNCIA E TECNOLOGIA
Mídia Ciência relata a história da extração de diamantes em Rochedo
TRÁFICO DE DROGAS
Traficante abandona veículo às margens da rodovia com mais de meia tonelada de maconha
PREVISÃO
Inmet emite alerta e solicita atenção redobrada em barragens de MG
TRÊS LAGOAS
Na companhia dos amigos, jovem morre afogado ao tentar atravessar lago
PANDEMIA
MS tem mais de 4 mil exames sem encerramento em plataforma
LIVE
Som da Concha traz diversidade de shows neste final de semana
BR-419
Arrendatária e capataz de fazenda são autuados por incêndio em galhadas de árvores
COMUNICAÇÃO
Publicadas regras de flexibilização do programa A Voz do Brasil
SEBRAE
Em MS, 1.000 empresas serão selecionadas para acompanhamento individual gratuito

Mais Lidas

DOURADOS
Acusado de matar mulher por asfixia no Canaã I é preso no Piratininga
TRÂNSITO
Moto invade preferencial, é atingida por caminhonete e dois ficam feridos na Marcelino
TRÁFICO DE DROGAS
Jovens que saíram de Dourados são flagrados com maconha no interior paulista
PONTA PORÃ
PF faz segunda maior apreensão de cocaína do ano em MS