Menu
Busca sexta, 14 de agosto de 2020
(67) 99659-5905
JUDICIÁRIO

STF libera publicação de livro sobre Suzane von Richthofen

18 dezembro 2019 - 21h35Por G 1

O STF (Supremo Tribunal Superior) liberou nesta quarta-feira, dia 18 de dezembro, a publicação de um livro sobre a detenta Suzane von Richthofen, condenada por matar os pais em 2002. Uma liminar do Tribunal de Justiça de São Paulo proibia a publicação da obra.

A decisão do ministro Alexandre de Moraes liberou a obra ao revogar a liminar que havia sido concedida pela justiça paulista. Segundo o autor do livro, Ulisses Campbell, a data de lançamento está prevista para janeiro de 2020.

A trama pretende recontar a história de um dos crimes de maior repercussão no país - Suzane planejou o assassinato dos pais, que foram executados pelo então namorado, Daniel Cravinhos, com ajuda do irmão dele, Cristian. Suzane e o ex-cunhado ainda cumprem pena na prisão pelos homicídios.

A publicação do livro havia sido proibida no mês passado, por meio de uma liminar, concedida pela juíza Sueli Zeraik, da Vara de Execuções Criminais (VEC) de Taubaté (SP).

Na ocasião, a magistrada considerou que o direito à imagem dá à pessoa meios de defesa contra divulgações não autorizadas, e avaliou que a publicação da obra seria 'sensacionalismo', dificultando a ressocialização da detenta, que cumpre pena no regime semiaberto.

Nesta terça (17), o Tribunal de Justiça havia decidido pela manutenção da proibição do livro. Apesar disso, com a decisão desta quarta, a decisão da justiça paulista foi cassada.

"Julgo procedente o pedido de cassar a decisão proferida pelo Juízo de Direito da Unidade Regional de Departamento Estadual de Execução Criminal da Comarca de São José dos Campos", diz o ministro Alexandre de Moraes em um trecho do documento.

Autor

O escritor e jornalista Ulisses Campbell disse ao G1 que considera que decisão do STF em liberar a publicação do livro respeita o que está previsto na Constituição Federal. "Eu acho que prevaleceu a Constituição Federal, que já decidiu que não se pode fazer censura prévia", falou.

Segundo ele, os elementos apresentados pela defesa para vetar a publicação não são verídicos. "A defesa alega que ela conseguiu vetar o livro alegando que ele mostra parte do processo de execução penal, que está sob sigilo. Eu afirmo que não tem nenhum dado sob sigilo no livro", disse Ulisses.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Mulher grávida é espancada por marido que a acusa de traição
OPERAÇÃO GAMBIARRA
Gaeco cumpre mandados de busca e apreensão em Dourados
ENERGIA SOLAR
Como fica sua conta de energia depois da energia solar?
PANDEMIA
Um município de MS alcançou a taxa de isolamento ideal na quinta-feira
RIO BRILHANTE
Após bebedeira, casal vai parar na delegacia e polícia descobre lesão em criança
NOVA ALVORADA DO SUL
Jovem é detido após fazer vídeo em rede social para oferecer drogas
DOURADOS
Posto de saúde diz que materiais estão em dia, "só não tem recebido máscaras cirúrgicas"
POLÍCIA
Casal de São Paulo é preso transportando drogas na BR-163
ARTIGO
Precisamos questionar
NEGÓCIOS & CIA
Agiliza Certificação Digital e Documentos

Mais Lidas

DOURADOS
Preso no Ipê Roxo era investigado desde fevereiro por estupro do sobrinho
VIDA NOTURNA
“Estão passando fome”: profissionais do sexo sofrem com a pandemia em Dourados
DOURADOS
Com gritos de "pega ladrão", grupo é flagrado furtando carro no Jardim Paulista
DOURADOS
Decreto deve autorizar volta de cursos profissionalizantes e atividades práticas de universidades