domingo, 05 de dezembro de 2021
Dourados
36°max
23°min
Campo Grande
33°max
23°min
Três Lagoas
38°max
23°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
JUDICIÁRIO

STF autoriza remarcação da data de concursos por crença religiosa

26 novembro 2020 - 18h50Por Agência Brasil

O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu nesta quinta-feira, dia 26 de novembro, autorizar a realização de provas de concursos públicos em datas e horários que não constam nos editais por motivos de crença religiosa. A discussão envolve a participação dos adventistas nas etapas das seleções, cuja crença estabelece que o dia de sábado deve ser guardado, ou seja, não deve ser dedicado a atividades como trabalho, entre outras.

Após três sessões de julgamentos, por 7 votos a 4, a Corte entendeu que as provas podem ser remarcadas para outra data que não consta no edital, desde que a mudança não cause prejuízos para a administração pública e à preservação da igualdade na seleção dos candidatos.

De acordo com os ministros, a possibilidade pode ser garantida com base no Artigo 5º, inciso VIII, da Constituição. Pelo dispositivo, “ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei”.

O entendimento foi formado com os votos dos ministros Edson Fachin, Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Cármen Lúcia, Rosa Weber, Ricardo Lewandowski e o presidente Luiz Fux. Dias Toffoli, Nunes Marques, Gilmar Mendes e Marco Aurélio ficaram vencidos.

A questão foi decidida no julgamento de dois processos. A primeira ação julgada envolveu um adventista que passou em primeiro lugar na prova escrita de um concurso público, mas não participou do exame de aptidão física, umas das fases para ser aprovado, porque o teste foi marcado em um sábado. Ele fez um requerimento para realizar a prova física em outro dia, mesmo sendo em outro estado, mas o pedido não foi aceito pela organização do concurso.

O outro caso envolve uma professora que passou em concurso público para atuar na educação básica de São Bernardo do Campo (SP).  Durante o estágio probatório, houve acúmulo de 90 faltas ao trabalho. Ela alegou que, por ser adventista, não poderia trabalhar às sextas-feiras, após o pôr do sol, quando inicia o período de guarda do sábado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GUIA LOPES

Motociclista fica em estado gravíssimo após colidir com ambulância

Brasil se classifica para segunda fase do Mundial feminino de handebol
ESPORTE

Brasil se classifica para segunda fase do Mundial feminino de handebol

MS acumula 37,2 mil empregos criados com carteira assinada em 2021
EMPREGO

MS acumula 37,2 mil empregos criados com carteira assinada em 2021

Ramon, do Flamengo, nega ter bebido antes de acidente que matou ciclista
TRÂNSITO

Ramon, do Flamengo, nega ter bebido antes de acidente que matou ciclista

OMT lança concurso mundial para startups de turismo gastronômico
COMPETIÇÃO

OMT lança concurso mundial para startups de turismo gastronômico

JUDICIÁRIO

Provas do processo seletivo de juízes leigos serão neste domingo

REGIÃO

Gestante é presa em residência que funcionava como "boca de fumo"

TAXA

CAE deve votar na terça-feira projeto com alternativas para conter alta dos combustíveis

REGIÃO

Mulher é flagrada carregando drogas enquanto viajava com filho de 4 anos

HONRARIA

Mulheres de Sucesso: diretora do Dourados News é homenageada na Capital

Mais Lidas

DOURADOS

Vídeo mostra jovem deitando em rua antes de acidente

DOURADOS

Homem morre atropelado no Jardim Piratininga e motorista foge do local

DOURADOS

Jovem estava deitado na rua e motorista de caminhão disse que não percebeu atropelamento

TRAGÉDIA

Trabalhador morre após queda de laje em Dourados