Menu
Busca quarta, 01 de dezembro de 2021
Dourados
34°max
19°min
Campo Grande
32°max
19°min
Três Lagoas
35°max
21°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
STF

Provas obtidas por interceptação telefônica baseada apenas em denúncia anônima são ilícitas

31 outubro 2020 - 19h40Por Assessoria/STF

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), reconheceu a ilicitude de provas obtidas a partir de interceptação telefônica determinada com fundamento exclusivo em denúncia anônima em uma ação penal contra uma acusada de tráfico de drogas. A decisão se deu no Habeas Corpus (HC) 181020.

De acordo com o relator, o STF firmou entendimento de que a denúncia anônima é fundamento idôneo para deflagrar a persecução penal, desde seguida de diligências prévias, a fim de averiguar os fatos nela noticiados, o que não ocorreu no caso. A Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes de Piracicaba (SP) recebeu denúncias anônimas sobre a comercialização de drogas na região, e os investigadores indicaram a necessidade de interceptação das comunicações telefônicas dos investigados. Na mesma data, a autoridade policial, sem ter feito nenhuma investigação, representou pelo deferimento da interceptação e, dois dias depois, o juízo autorizou a diligência. Segundo Fachin, os fatos evidenciam que a medida foi concedida com base exclusiva nas denúncias anônimas.

Fundamentação insuficiente

O relator verificou, ainda, a insuficiência de fundamentação da decisão que autorizou a interceptação, decretada com base em considerações genéricas sobre sua necessidade para o sucesso das investigações. “Não se indica de que maneira a interceptação telefônica seria imprescindível à apuração dos fatos narrados, nem se aponta, de forma concreta, a existência de provas de materialidade e indícios de autoria aptos a autorizar a diligência”, afirmou.

Para o ministro Edson Fachin, a avaliação aplicada pelo juízo de primeiro grau não satisfaz a necessidade de motivação das decisões judiciais prevista na Constituição Federal e na Lei das Interceptações Telefônicas (Lei 9.296/1996). “Nessa ótica, a violação ao direito à decisão fundamentada configura constrangimento ilegal, de modo que a concessão da ordem é a medida que se impõe”, concluiu.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Governo acaba com tarifa mínima e reduz cobrança de água para consumidores da Sanesul
ECONOMIA
Governo acaba com tarifa mínima e reduz cobrança de água para consumidores da Sanesul
Com três óbitos por covid e dezenas de novos casos em MS, SES faz alerta sobre nova variante
PANDEMIA
Com três óbitos por covid e dezenas de novos casos em MS, SES faz alerta sobre nova variante
ORDEM DO DIA
Reajuste salarial dos servidores e mais 11 propostas são aprovadas
Município faz alerta por medidas de biossegurança contra nova variante da Covid
DOURADOS
Município faz alerta por medidas de biossegurança contra nova variante da Covid
Por um Natal mais humano, Dourados News faz campanha para levar ceia a carentes; veja como ajudar
RESPONSABILIDADE SOCIAL
Por um Natal mais humano, Dourados News faz campanha para levar ceia a carentes; veja como ajudar
AGENDA
Ponte Bioceânica vai ganhar nova data de lançamento; Bolsonaro e Marito participam
DOURADOS
Defesa pede para Câmara reempossar vereador acusado de violência doméstica
ECONOMIA
Faturamento da indústria cai pelo terceiro mês seguido, diz CNI
CALENDÁRIO ESCOLAR
Aulas na Rede Estadual começam na primeira semana de março
DOURADOS
Desembargador restabelece liminar que suspende apuração de quebra de decoro contra Diogo Castilho

Mais Lidas

ITAPORÃ
Ciclista morta após ser atropelada por carreta é identificada
DOURADOS
Família procura por jovem que saiu de casa há mais de um mês e não retornou
CAPITAL
PRF que atirou em homem no interior de motel é encontrado morto
TRAGÉDIA
Caminhoneiro que morreu em acidente na Serra de Maracaju era douradense