Menu
Busca domingo, 20 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
EDUCAÇÃO

Professores do Paraná encerram greve de 49 dias letivos

09 junho 2015 - 14h30

Professores e servidores da rede estadual de ensino do Paraná decidiram, hoje (9), encerrar a greve que - somadas as duas paralisações recentes - já durava 49 dias letivos. A decisão foi aprovada durante assembleia que, segundo o Sindicato dos Professores do Paraná (APP-Sindicato), reuniu cerca de 12 mil trabalhadores no Estádio da Vila Capanema.

“Pela educação pública, em respeito aos nossos estudantes, dizemos aos paranaenses que a greve está encerrada. A luta continua no chão de nossas escolas”, anunciou o sindicato em uma rede social – na qual muitas pessoas que se identificam como professores lamentaram a decisão.

“Não acredito que vou conseguir voltar [à sala de aula] de cabeça erguida, mas sim envergonhado. Poderíamos ter feito mais", comentou um internauta. “Agora teremos que trabalhar aos sábados, por uma luta perdida”, disse outra pessoa insatisfeita. O sindicato respondeu que cerca de 70% dos presentes à assembleia votaram pelo retorno ao trabalho, que a vontade da maioria deve ser respeitada e que a categoria deve continuar unida.

A categoria aceitou a última proposta apresentada pelo governo estadual e receberá 3,45% de reajuste a partir de outubro. Na mesma rede social que utilizou para anunciar o fim da greve, o sindicato dos professores reconhece que o percentual concedido é inferior aos 8,17% de aumento que a categoria reivindicava, mas lembra que os dias parados não vão ser descontados do pagamento dos professores que, em contrapartida, terão que repor as aulas perdidas.

Em janeiro de 2016, os servidores devem receber novo aumento, com a inflação acumulada em 2015, mais um ponto percentual. A mesma medida deve ser tomada em janeiro de 2017.

De acordo com a Agência Brasil, também não serão abertos processos administrativos contra os diretores de escola que entregarem os relatórios mensais de frequência dos professores e funcionários e nenhum professor temporário será demitido por ter aderido à greve.

Com o fim da greve, iniciada em 25 de abril, cerca de um milhão de alunos matriculados em cerca de 2,1 mil escolas que estavam sem aula poderão retornar às escolas amanhã (10). A secretaria estadual já adiantou que os 200 dias letivos e as 800 horas-aula exigidas pela Lei de Diretrizes e Bases (LDB) serão cumpridos conforme um calendário de reposição das aulas que ainda vai ser elaborado e terá que ser homologado pelos Núcleos Regionais de Educação (NREs).

Ainda de acordo com o site, além da duração, a paralisação dos profissionais foi marcada pelo excesso policial ao impedir que grevistas e manifestantes se aproximassem da Assembleia Legislativa do Paraná, no dia 29 de maio. Pelo menos 170 manifestantes, na maioria professores, ficaram feridos na ação policial.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Turismo: metade das operadoras vende viagens para novembro e dezembro
INTERNACIONAL
Milhares de pessoas participam de protesto contra monarquia na Tailândia
NO FLAGRA
PMA pega infrator colocando fogo em pastagem e apaga incêndio
PANDEMIA
Dourados registra mais 49 casos de Covid e começa semana com 23 pacientes em UTIs
TRAGÉDIA
Batida frontal entre caminhão e van deixa 12 mortos e um ferido em Minas Gerais
FUTEBOL
Palmeiras e Grêmio se enfrentam pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro
REGIÃO
Adolescente fica ferida em acidente envolvendo carro e moto em Sonora
CAMPO GRANDE
Homem tenta fugir, mas acaba preso com tabletes de maconha em mochila
DOURADOS
Polícia flagra trio ‘preparando’ carro com maconha e munição para fuzil
TIKTOK
Aplicativo move processo para tentar reverter banimento nos Estados Unidos

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher estaciona em vaga preferencial e é xingada por médico
RIO BRILHANTE
Homem de 56 anos cai de trator e morre atropelado em fazenda
DOURADOS
GM flagra aglomeração no centro e três são presos
POLÍCIA
Braço direito de "Marcelo Piloto" é preso no Paraguai