Menu
Busca domingo, 13 de junho de 2021
(67) 99257-3397

Produtores de Ivinhema fecham o Banco do Brasil

12 maio 2006 - 12h07

As entidades de classe do município de Ivinhema ratificaram o apoio aos  produtores rurais e aderiram ontem ao manifesto realizado no centro da cidade. Ivinhema, aliás, parou literalmente. Além da Prefeitura, o comérciotambém fechou as suas portas em solidariedade aos produtores, que promovem há duas semanas o Alerta no Campo.O manifesto começou logo cedo, com a colocação de máquinas agrícolas em frente à agência do Banco do Brasil.Os produtores rurais também ficaram em frente da instituição. Ao meio dia, os lojistas fecharam as suas portas e entraram no movimento, quando foi realizada uma carreata pelo centro comercial de Ivinhema. Após a carreta, os manifestantes, sempre de forma pacífica, seguiram para a rodovia BR-376, na região do bosque onde antigamente funcionava um zoológico.No local, os agricultores fecharam à rodovia por cerca de três horas. Os carros pequenos passaram, mas os caminhões foram impedidos. Os produtores reclamam que estão pagando para plantar. Eles citam comoexemplo que, para produzir um boi de 36 meses, custa R$ 51,00 a arroba e se vende por R$ 46,00 a arroba. Também, para se produzir uma tonelada de mandioca, custa R$ 120,00, e se vende por R$ 72,00 a tonelada.Outros exemplos citados por eles, é que para se produzir um saco de arroz de 60 kg, custa R$ 28,00, e se vende por R$ 17,00; para se produzir um saco de soja de 60 kg, custa R$ 29,00, e se vende por R$ 19,00; para se produzir um saco de milho de 60 kg, custa R$ 12,50 e se vende por R$ 8,50; e o leite pago ao produtor é de R$ 0,28 o litro, e são necessários 8 litros para se comprar 1 litro de óleo diesel.Os agricultores reivindicam preço mínimo compatível com o custo de produção  e  mais o lucro de 30% em cima do custo conforme a Constituição Brasileira (Art.> 187); prorrogação das dívidas em longo prazo com planos de carência devido às perdas de três anos consecutivos na agricultura e pecuária, por ocorrência de secas e altas temperaturas; e Seguro Rural: secas prolongadas, doenças fúngicas e todos os tipos de intempéries no clima.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Historiadora traça paralelo entre a gripe espanhola e a pandemia de Covid-19 em evento do STF
BRASIL
Historiadora traça paralelo entre a gripe espanhola e a pandemia de Covid-19 em evento do STF
Covid-19: projeto oferece apoio psicológico online para superar o luto
BRASIL
Covid-19: projeto oferece apoio psicológico online para superar o luto
Olimpíada: Fernando Reis e Jaqueline Ferreira se classificam
ESPORTE
Olimpíada: Fernando Reis e Jaqueline Ferreira se classificam
Prova de vida pode ser feita sem sair de casa
BRASIL
Prova de vida pode ser feita sem sair de casa
Defron desarticula entreposto de cocaína no Campo Dourado
DOURADOS
Defron desarticula entreposto de cocaína no Campo Dourado
MS
Cargas de 164 m³ de carvão ilegal motivam multa de R$ 49,2 mil em empresa carvoeira
CONSCIENTIZAÇÃO
Cardiopatia congênita: diagnóstico precoce é essencial para tratamento
CAPITAL
Condutor de BMW que causou acidente vai a júri por vitimar motociclista
BRASIL
STF julga inconstitucional regra que veda créditos de PIS/Cofins na aquisição de recicláveis
MS
TRT define regime de teletrabalho a partir de segunda-feira

Mais Lidas

FLEXIBILIZAÇÃO
Decreto que libera atividades comerciais a partir de domingo é publicado
EMOCIONATE
VIDEO: Recuperada da Covid-19, douradense é recebida pela mãe em Rondônia
LOCKDOWN
Decreto flexibiliza atendimento via delivery no Dia dos Namorados em Dourados
LOCKDOWN
Fiscalização encontra funcionários dentro de filial das Casas Bahia em Dourados