Menu
Busca terça, 22 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
BRASIL

Presidente do STF decreta luto oficial de três dias em memória às 100 mil vítimas da Covid-19

09 agosto 2020 - 09h00Por André Bento

Presidente do STF (Superior Tribunal Federal) e do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), o ministro Dias Toffoli decretou na tarde de sábado (8) luto oficial de três dias em memória às 100 mil mortes causadas pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil.

Através da Resolução nº 698, de 08 de agosto de 2020, definiu que a Bandeira Nacional será hasteada em funeral, a meio-mastro, nos termos do art. 17 da Lei n o 5.700, de 1º de setembro de 1971, bem como estabeleceu que ficam proibidas quaisquer celebrações, comemorações ou festividades, na Corte, enquanto durar o luto.

“Na data de hoje, o Brasil chora pelas 100 mil mortes em razão da Covid-19. Somos uma nação enlutada, que sofre pela perda de familiares, amigos e pessoas do nosso convívio social”, pontuou o ministro.

“Jamais vivemos uma tragédia dessa dimensão em nosso país. São 100 mil pessoas que tinham um nome, uma profissão, projetos e sonhos. 100 mil vidas que certamente deixaram sua marca no mundo e na vida de outras pessoas. São filhas e filhos que não mais estarão com seus pais no dia especial de amanhã. São pais que não terão o que festejar neste domingo”, prosseguiu.

Toffoli manifestou sentimentos de profunda tristeza e solidariedade aos familiares e aos amigos de cada uma das 100 mil vítimas em nome do Poder Judiciário e do Supremo Tribunal Federal.

“Uma das maiores pandemias da humanidade tem assolado a vida dos brasileiros. Passamos a conviver com a incerteza quanto ao futuro, a temer por nossa própria vida e saúde e pelas daqueles que amamos. Os reflexos e as dores oriundas da pandemia são inúmeros e imensuráveis. Mas a maior de todas as dores é, sem dúvida, a perda de alguém que amamos. Isso é algo que jamais pode ser restituído ou compensado”, pontuou o presidente da Corte.

“Nesses tempos de tantos temores e perdas, humanas e materiais, somos instados a exercer a solidariedade e o espírito fraternal; a olharmos uns aos outros como irmãos, como companheiros de jornada. Cada um de nós tem ‘apenas duas mãos, e o sentimento do mundo’, para usar a expressão de Carlos Drummond de Andrade. Que esse ‘sentimento do mundo’ continue nos mobilizando a apoiar uns aos outros como irmãos e a lutar por dias melhores. Que a esperança, o espírito de Fé e a Ciência sejam nossos guias para que possamos encontrar meios de superação”, prosseguiu.

“O Poder Judiciário Nacional e o Supremo Tribunal Federal seguirão a postos para servir os brasileiros em suas demandas por justiça, ainda mais essencial nesse momento de fragilidade social. Seguiremos incansáveis na proteção dos mais vulneráveis e desassistidos e em assegurar os direitos fundamentais do cidadão, promovendo a justiça e a paz social”, finalizou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PARAÍSO DAS ÁGUAS
Batida policial termina com maconha apreendida em hotel
MEIO AMBIENTE
Números de multas e de focos de queimadas no MS já superam 2019
OPORTUNIDADE
Escola de Governo abre inscrições para turma 2 de curso gratuito de Educação Fiscal
DOURADOS
Traficantes usam fundos de igreja para armazenar uma tonelada de maconha
PANDEMIA
Dourados tem 627 pessoas em isolamento em dia com 94 novos casos de Covid
OPORTUNIDADE
IFMS retifica edital de seleção para cursos técnicos integrados ao ensino médio
30% DA CAPACIDADE
Estudo para retorno parcial de público no Brasileiro é aprovado pelo Ministério da Saúde
REGIÃO
Produtor rural é autuado por desmatamento ilegal de área protegida
MATO GROSSO DO SUL
Fundação de Turismo descentraliza recursos e publica editais de apoio
JUSTIÇA
AGU assegura direito de bloqueio de bens mesmo durante pandemia

Mais Lidas

DOURADOS
Motorista bêbado atropela cinco pessoas que voltavam da igreja no Novo Horizonte
ESTADO
Confraternização em fazenda termina com tragédia após briga familiar
TRAGÉDIA
Bombeiro em Dourados morre durante acidente em Santa Catarina
DOURADOS
Amigos e familiares de entregador morto em acidente pedem que justiça seja feita