Menu
Busca terça, 24 de novembro de 2020
(67) 99659-5905
CASO MARIELLE

Porteiro volta atrás e diz que errou ao dizer que havia falado com 'seu Jair'

20 novembro 2019 - 21h20Por G 1

O porteiro do condomínio onde o presidente Jair Bolsonaro tem casa no Rio de Janeiro, prestou novo depoimento à Polícia Federal. A informação foi publicada nesta quarta-feira, dia 20 de novembro, pelo colunista Ancelmo Góis, do jornal "O Globo".

O Jornal Nacional, da Rede Globo, apurou que, no depoimento desta terça-feira, dia 19 de novembro, o porteiro voltou atrás sobre a informação que tinha dado anteriormente à Polícia Civil, nos dias 7 e 9 de outubro.

Como o Jornal Nacional revelou no dia 29 de outubro, o porteiro disse nos depoimentos que em 14 de março de 2018, dia do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, um dos acusados do crime, Élcio Queiroz, entrou no condomínio dizendo que ia para a casa 58, que pertence ao presidente Jair Bolsonaro, na época deputado federal.

Naqueles depoimentos iniciais, o porteiro disse ainda que ligou para a casa 58 duas vezes e que a autorização para a entrada de Élcio no condomínio veio de alguém cuja voz, segundo ele, era a do "Seu Jair".

O Jornal Nacional também mostrou desde a primeira reportagem que, naquele dia, Jair Bolsonaro estava em Brasília e registrou presença em votações no plenário da Câmara.

Fontes ouvidas pelo Jornal Nacional informaram que, à Polícia Federal, o porteiro voltou atrás no novo depoimento: disse que errou ao dizer que havia falado com o "Seu Jair" e que se equivocou ao anotar o número 58 no registro do condomínio.

Segundo essas mesmas fontes, o porteiro alegou que, quando chamado a depor pela Polícia Civil nos dias 7 e 9, ficou nervoso e não se corrigiu, mesmo sabendo que tinha errado ao anotar como sendo a casa 58 o destino de Élcio.

A Polícia Federal apenas confirmou que o porteiro deu o depoimento, mas não deu detalhes sobre o que ele falou.

O depoimento desta terça do porteiro à Polícia Federal faz parte do inquérito que apura se ele cometeu crimes de obstrução da Justiça, falso testemunho e denunciação caluniosa contra o presidente.

O inquérito, que está em sigilo, foi aberto a pedido do Ministério Público Federal, depois de um ofício encaminhado pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, ao procurador-geral da república, Augusto Aras.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Perseguição termina com mais de meia tonelada de drogas apreendidas
BR-060
Perseguição termina com mais de meia tonelada de drogas apreendidas
MS confirma quase 800 casos de coronavírus em um dia e soma mais 11 óbitos
PANDEMIA 
MS confirma quase 800 casos de coronavírus em um dia e soma mais 11 óbitos
Contrato de vistoria veicular resultou em nova fase da Lama Asfáltica
MOTOR DE LAMA
Contrato de vistoria veicular resultou em nova fase da Lama Asfáltica
Emenda de Marçal garante aparelhos de ar-condicionado para escola
TRABALHO PARLAMENTAR
Emenda de Marçal garante aparelhos de ar-condicionado para escola
Após ação conjunta da polícia, líder de facção é preso em Sidrolândia
INVESTIGAÇÃO
Após ação conjunta da polícia, líder de facção é preso em Sidrolândia
INVESTIGAÇÃO
Homem é preso suspeito de agredir e matar rival em Rio Brilhante
NOVA FASE
Utilização de 'laranjas' e remessas clandestinas ao exterior são apuradas na "Motor de Lama"
DOURADOS
Prefeitura empenha R$ 163 mil para pagar limpeza pública terceirizada, mas de setembro
PREVENÇÃO
Brigada de Incêndio do HU realiza ciclo de treinamento anual obrigatório
NOVEMBRO AZUL
Hospital do Coração faz ação interna sobre a prevenção do câncer de próstata

Mais Lidas

DOURADOS
Carro invade parque no final da Avenida Marcelino Pires, cai em valeta e pega fogo
VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
Homem ameaça ex com faca e apanha de vizinhos em Dourados
DOURADOS
Homem é preso após tentar atropelar policiais em abordagem na BR-163 
DOURADOS
Mulher é presa após atear fogo na casa do ex-marido, cadeirante