Menu
Busca quarta, 27 de janeiro de 2021
(67) 99257-3397

Polícia invade a sede da Confederação Brasileira de Tênis

10 março 2004 - 13h52

Cinco policiais do 27º Distrito Policial de São Paulo (Campo Belo) estão, neste momento, cumprindo mandado de busca e apreensão na sede da CBT (Confederação Brasileira de Tênis), no 16º andar da avenida Paulista, 326, Bela Vista, região Central de São Paulo. Os dirigentes da CBT estão sendo investigados por formação de quadrilha e falsidade ideológica, de acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil.A notícia ocorre um dia após Gustavo Kuerten, principal jogador de tênis do país, anunciar que não defenderá o Brasil na Copa Davis -competição por equipes- por discordar da direção da CBT. Nesta quarta, Flávio Saretta, segundo melhor tenista do Brasil, também anunciou seu boicote ao duelo contra o Paraguai, pela Zona Americana (uma espécie de segunda divisão) da Copa Davis.O mandado de busca e apreensão foi expedido pelo Dipo (Departamento de Inquéritos e Polícia Judiciária da Capital). A Polícia busca na CBT a escrituração fiscal, documentos contábeis, atas de assembléias dos anos de 2000, 2001 e 2002 e outros documentos, além de material eletrônico nos computadores.A Justiça atendeu ao pedido do delegado João Renato Weselowski, do 27º DP. Mês passado, o delegado instaurou inquérito de formação de bando ou quadrilha e de falsidade ideológica contra o presidente da CBT, Nelson Jorge Nastás, o vice-presidente jurídico, Antônio Jurado Luque, o contador Theo Ferreira de Carvalho e Raul Cilento, presidente da FPT (Federação Paulista de Tênis).A instauração do inquérito atendeu à notícia-crime de Jorge Lacerda da Rosa, presidente da FCT (Federação Catarinense de Tênis), com sede em Florianópolis. No documento, Lacerda pede investigação por crimes de falsidade ideológica, estelionato, uso de documento falso e formação de quadrilha.Segundo a notícia-crime a simulação de assembléias, falsificação de atas, além da ocultação e manipulação de documentos contábeis, contribuem para a "falta de transparência com a parte financeira" da administração do tênis nacional.O presidente da federação paulista é citado como provável envolvido no esquema denunciado à Polícia. Em dezembro de 2001, Cilento teria participado de fraude em ata de uma assembléia geral ordinária, "com a nítida intenção de alterar a verdade contábil da CBT", segundo a notícia-crime. Para a federação catarinense, essa falta de transparência financeira ficou constatada principalmente nas disputas da Taça Davis, contra França e Austrália, em 2001 e 2002, quando a entidade nacional declarou um número de pagantes bem menor do que o público presente. Entre todas as suas contas, A CBT movimentaria mais de R$ 5 milhões anuais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LEGISLATIVO
Selo verde para produtos com boa procedência ambiental pode ser criado
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Projeto proíbe partido de escolher em convenção candidato inelegível
CIÊNCIAS HUMANAS
Uems de Amambai oferta 40 vagas em dois cursos
ECONOMIA
Dólar fecha em alta com tensão externa
Fiscais resgatam 942 pessoas em situação análoga à escravidão em 2020
BALANÇO
Fiscais resgatam 942 pessoas em situação análoga à escravidão em 2020
FRONTEIRA
'Skunk' é apreendido com adolescente em Ponta Porã em bloqueio policial
CHAPADÃO DO SUL
Governo anuncia atendimento a uma antiga reivindicação da comunidade
SAÚDE PÚBLICA
MS já registra mais de 700 casos notificados de dengue em 2021
Covid-19
Profissionais que atuam na Reserva Indígena relatam 'fake news' contra vacina
REGIÃO
Três são presos transportando tabletes maconha em pneus de carro

Mais Lidas

ACIDENTES
Trânsito de Dourados faz terceira vítima fatal no ano, todas motociclistas
TEIXEIRA
Ex-primeira-dama morre cinco dias após o marido em Dourados
BR-276
Carreta com quase dez toneladas de maconha é apreendida em Dourados
DOURADOS
Empresária leva prejuízo de R$ 7 mil ao ter loja arrombada por ladrões em bairro