Menu
Busca quinta, 24 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
SECRETÁRIO

PF abre inquérito contra Wajngarten por suspeita de corrupção e peculato

04 fevereiro 2020 - 20h20Por G 1

A Polícia Federal abriu inquérito para investigar supostas irregularidades cometidas pelo secretário de Comunicação Social da Presidência da República, Fábio Wajngarten.

O inquérito, que vai tramitar em sigilo, foi aberto na Superintendência da Polícia Federal na última sexta-feira, dia 31 de janeiro. A informação, publicada pelo jornal "Folha de S.Paulo" e confirmada pela TV Globo, é de que o pedido foi feito pelo procurador Frederick Lustoza, do Ministério Público Federal (MPF) em Brasília.

O objetivo, segundo o procurador, é investigar indícios de corrupção, peculato (apropriação de recursos públicos) e advocacia administrativa, que é quando o gestor usa cargo público para defender interesses privados.

Em nota (veja íntegra abaixo), Wajngarten afirmou que a abertura de inquérito é "mais um passo na rotina do processo de investigação", e que terá oportunidade de provar que não cometeu qualquer irregularidade.

"Como será comprovado, não há qualquer relação entre a liberação de verbas publicitárias do governo e os contratos da empresa FW Comunicação – da qual me afastei conforme a legislação determina – que são anteriores à minha nomeação para o cargo, como pode ser atestado em cartório", diz.

Desde janeiro, a "Folha" vem publicando reportagens que apontam possível conflito de interesses envolvendo o secretário de Comunicação. Fábio Wajngarten tem uma empresa de mídia que presta serviços a algumas emissoras de TV e agências de publicidade.

Essas empresas que contratam a firma de Wajngarten, segundo as reportagens, também têm contratos com a Secretaria de Comunicação. Wajngarten foi nomeado para o cargo em abril do ano passado.

A "Folha" diz também que Wajngarten omitiu informações sobre a empresa à Comissão de Ética Pública da Presidência da República.

Ao assumir o cargo, segundo o jornal, ele afirmou ao colegiado que não tinha exercido, nos 12 meses anteriores, atividades em "área ou matéria afins às atribuições públicas, que possam gerar conflito de interesses." O documento foi obtido e divulgado pela "Folha".

O que diz o citado

Leia a íntegra de nota divulgada por Fabio Wajngarten:

A abertura de inquérito pela Polícia Federal é mais um passo na rotina do processo de investigação solicitado pelo Ministério Público Federal do Distrito Federal em 28 de janeiro passado.

Será a oportunidade que terei para provar que não cometi qualquer irregularidade na minha gestão à frente da Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República (Secom) desde abril do ano passado.

Como será comprovado, não há qualquer relação entre a liberação de verbas publicitárias do governo e os contratos da empresa FW Comunicação – da qual me afastei conforme a legislação determina – que são anteriores à minha nomeação para o cargo, como pode ser atestado em cartório.

Tenho um nome a zelar, um trabalho de mais de 20 anos no mercado, o seu respeito e reconhecimento.

Confio no trabalho da Polícia Federal e na decisão do Ministério Público Federal do Distrito Federal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

REGIÃO
Caminhonete “recheada” com maconha capota na MS-164
PEDRO JUAN
Dona de clínica onde estudante morreu paga fiança com caminhão
CAMPO GRANDE
Salão terá que indenizar cliente que sofreu queimadura no couro cabeludo
ELEIÇÕES
Justiça Eleitoral deve receber 630 mil pedidos de registro de candidatura até sábado
PONTA PORÃ
Avó simula sequestro de neto para tentar extorquir o próprio filho
COTAÇÃO
Dólar fecha em queda após bater R$ 5,60
INJÚRIA RACIAL
Mulher é chamada de “macaca" e "galinha preta de macumba” em cidade de MS
REGIÃO
Foragido da Justiça é localizado em feira e preso
IVINHEMA
Corpo de Bombeiros encontra homem morto em salão de beleza
K-POP
Fãs de banda sul-coreana já arrecadaram R$ 37 mil para combater incêndios no Pantanal

Mais Lidas

DOURADOS
Carro carregado com calhas capota após colisão e mulher fica ferida
PARANÁ
Traficante Elias Maluco é encontrado morto em presídio federal
PEDRO JUAN
Terror na fronteira: três veículos de luxo são incendiados em pontos distintos
PANDEMIA
Prefeitura e MPE entram em acordo para retorno das aulas presenciais na rede privada