Menu
Busca quarta, 23 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
SEXO

Pesquisa revela que mulheres estão dispostas a tentar algo diferente pelo parceiro

01 junho 2015 - 18h45

Da Redação

Elas, as brasileiras modernas, agora vão direto ao assunto, e não se envergonham! Roubando a cena dentro do mercado e da cultura sexual moderna, Segundo dados da Pesquisa realizada pela Hibou, feita com 2 mil mulheres entrevistadas na rua e por telefone em todo o Brasil, 4 de cada 5 mulheres estão dispostas a tentar algo diferente pelo parceiro e de dizer “na lata” o que elas realmente desejam.

Quase 2/3 das mulheres entrevistadas concordam que brinquedos na cama podem ser úteis mesmo quando acompanhadas. As mais jovens são mais receptivas a isso, com recusa de 7% (contra 16% das mais maduras). Este é um dos dados coletados pela Hibou, empresa especializada em pesquisa e monitoramento de consumo.

Diferente do que se imaginava, a maioria das mulheres têm sim inúmeras fantasias sexuais e falam abertamente sobre elas. 80% das entrevistadas revelaram que conversam sobre desejos picantes e fetiches não apenas com amigas, mas principalmente com o parceiro! Com o sucesso do filme “50 tons de cinza” a vontade e o desejo aumentou ainda mais, especialmente para as leitoras fanáticas da saga, que passaram a consumir mais produtos relacionados ao filme!

Para desmistificar e esclarecer o novo conceito das brasileiras em relação à sexualidade moderna, a empresa traz dados antes pouco explorados de como se transformou o comportamento das mulheres em relação às suas fantasias sexuais. “Hoje a mulher sabe mostrar o que quer a seu parceiro seja como dominadora ou submissa na cama. Isso ficou muito claro para nós durante a pesquisa”, diz Ligia Mello, sócia da empresa.

87% das mulheres entrevistadas assumiram abertamente também consumir produtos eróticos como livros, filmes e revistas, óleos, brinquedos, e fantasias, o que deixa para trás a ideia de que o mercado cultural sexual estava restrito apenas aos homens.

Compartilhando informações que qualquer homem gostaria de saber

Apesar da facilidade no acesso à informação online sobre todos os assuntos, apenas 57% das entrevistadas revelou curiosidade na busca de conteúdo na internet sobre fantasias sexuais. “As entrevistadas preferem falar com outras pessoas a buscar a informação sozinha.” , conta Ligia, Sócia da Hibou.

Faria ou não faria? Faria sim!

Venda nos olhos 75% fez/faria.

Palmadas 65% já fez (levou ou deu).

Bondage 41% das mais velhas não fariam e 46% das mais jovens gostariam de fazer

Gelo 46% já fez.

Roleplay 44% gostaria de fazer, 26% já fez.

Troca de poder 42% já fez.

Sexting 72% já fez.

irar fotos eróticas 48% já fez.

Ir pra cama com um desconhecido 42% faria.

Swing 20% faria.

Quase todo mundo (98%) faria ou já fez fora do próprio quarto (sala/motel).

94% gostam de ouvir obscenidades ao pé do ouvido.

79% já falaram obscenidades no ouvido dele. Entre as mais jovens apenas 7% não falariam, contra 17% das mais maduras.

64% já viu filmes ou imagens eróticas junto do parceiro.

Menage, 50% acha que jamais faria, e 23% gostaria de fazer. Entre quem já fez (14%), 70% gostou da experiência.

Orgasmo

Apenas 36% das mulheres abaixo de 35 anos tiveram o primeiro orgasmo no mesmo ano que iniciaram sua vida sexual, contra 42% das mulheres acima de 35 anos.

20% das mulheres até 35 anos levaram entre 03 e 04 anos de vida sexual ativa até atingir o primeiro orgasmo (o que pode explicar a crise dos 3 anos).

18% das mulheres mais velhas tiveram o primeiro orgasmo depois dos 25 anos.

Prática Sexual

71% praticam sexo oral, e entre as mulheres mais jovens a prática cresceu 13% (de 64% para 77%). A masturbação continua uma prática comum para 73% das mulheres, mas a masturbação cruzada cresceu 12% nas mais jovens.

Sobre a Hibou

A Hibou é uma empresa especializada em pesquisa de mercado e monitoramento. Da palavra francesa “coruja”, a Hibou traz o significado do olhar além dos 180°. A empresa tem como principal diferencial a inserção dos resultados das pesquisas dentro do dia a dia do consumidor, propondo muito além do resultado objetivo, sugestões de desdobramentos e abordagens. MaxHaus, Gafisa e o grupo argentino de seguros Sancor, são alguns dos clientes da Hibou, que oferece pesquisas qualitativas, quantitativas; exploratórias; profundidade; de campo; duble de cliente; deskresearch; datamining; e monitoramento de comportamento; presença de marca; expansão de região (acompanhamento de plano diretor); expansão de mercado para produtos e serviços; teste de produto e hábitos de consumo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Menina de 7 anos sofreu ferimento no rosto ao cair de muro, diz polícia
AJUDA NA PANDEMIA
Câmara aprova auxílio emergencial para trabalhadores do esporte
CASSILÂNDIA
Motorista é preso após entrar na contramão, atropelar ciclista
EDUCAÇÃO
Unidade 1 da UFGD está atendendo, de forma restrita, pela recepção
GREVE
Funcionários dos Correios acatam decisão judicial e voltam ao trabalho
EDUCAÇÃO
UEMS prorroga até esta quarta-feira a eleição da Comissão Permanente
SAÚDE
Justiça libera recursos para compra de medicamento para o bebê Írio
PONTA PORÃ
Polícia Federal apreende 42 quilos de cocaína na região de fronteira
CAMPO GRANDE
Cabeleireiro encontrado em córrego sofria de depressão e deixa filha de 12 anos
JUDICIÁRIO
Vendedores de imóvel devem restituir valor da entrada de contrato rescindido

Mais Lidas

DOURADOS
Motorista bêbado atropela cinco pessoas que voltavam da igreja no Novo Horizonte
DOURADOS
Após bebedeira, homem é assassinado por “dar em cima” de esposa do acusado
DOURADOS
Motorista que fez 'strike' e atropelou cinco no Novo Horizonte é levado à PED
DOURADOS
Carro carregado com calhas capota após colisão e mulher fica ferida