Menu
Busca terça, 19 de janeiro de 2021
(67) 99257-3397
DEPOIMENTO

Pecuarista de MS fica em silêncio na CPI do BNDES

01 dezembro 2015 - 17h50

Munido de um habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o empresário e pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ficou em silêncio nesta terça-feira (1º) no depoimento à CPI do BNDES da Câmara dos Deputados.

Preso na semana passada, Bumlai é suspeito de ter praticado tráfico de influência em órgãos e instituições do governo federal. Uma das acusações é de que ele intermediou um empréstimo de R$ 60 milhões do Banco Shahin no BNDES. Em razão de sua proximidade com Lula, o pecuarista tinha livre acesso ao Palácio do Planalto, segundo o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal.

Logo no início da sessão, o empresário explicou aos deputados que iria se manter calado uma vez que era agora investigado. “Mudou muito a minha condição desde a semana passada”, justificou.
Diante dos questionamentos dos parlamentares, repetia: “Seguindo a orientação do meu advogado, eu vou me manter calado”.

Alguns deputados demonstraram irritação com o silêncio dele. Um dos autores da convocação, o deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA) o acusou de covardia. "É uma postura covarde, a sua posição aqui é de covardia diante dos interesses do pais, antipatriótica. Espero que tenha noção disso", disse Jordy, acrescentando que o silêncio era "ensurdecedor".

O deputado João Gualberto (PSDB-BA) o provocou dizendo que corria o risco de ficar muito tempo na cadeia e fez um apelo para que entregasse outros envolvidos. "Ponha a mão na consciência, faça a sua delação e entregue essas pessoas que têm assaltado o Brasil", disse Gualberto.

Inicialmente, Bumlai seria ouvido na semana passada pela CPI, mas foi preso no mesmo dia. A prisão do pecuarista está ligada às suspeitas de que ele tenha envolvimento no esquema de fraude, corrupção e lavagem de dinheiro descoberto pela Lava Jato na Petrobras.

De acordo com as investigações, ele realizou empréstimos no Banco Shahin no valor de R$ 12 milhões. O financiamento nunca foi pago. Em troca, o grupo Shahin conquistou, sem licitação, um contrato de navio-sonda na Petrobras. Bumlai nega as suspeitas.

Para justificar ao Banco Central a falta de pagamento, segundo as investigações, o banco Schahin efetivou um novo empréstimo em nome de uma empresa do pecuarista.

'Marcos Valério'

Na tentativa de convencer Bumlai a falar à CPI, o deputado Alexandre Baldy (PSDB-GO) comparou a situação do pecuarista à do empresário Marcos Valério, condenado a mais de 37 anos de prisão no julgamento do mensalão do PT operar o esquema de corrupção. A pena de Marcos Valério foi maior do que a de outros condenados apontados como mentores das irregularidades ocorridas no primeiro mandato do ex-presidente Lula.

"O senhor pode ser o próximo Marcos Valério, que pagará por todos esses erros sozinho", ameaçou Baldy.

"O senhor ficará reconhecido como o bandido que beneficiou a si próprio e o projeto de poder e ficará abandonado, execrado e jogado numa prisão comum porque não quis ser verdadeiro", completou o parlamentar tucano. (Com informações do G1)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Valor da produção agropecuária de Mato Grosso do Sul chega ao recorde de R$ 70,9 bilhões
ECONOMIA
Valor da produção agropecuária de Mato Grosso do Sul chega ao recorde de R$ 70,9 bilhões
Copom inicia primeira reunião do ano para definir juros básicos
ECONOMIA
Copom inicia primeira reunião do ano para definir juros básicos
Suspensa tramitação de inquérito contra desembargador por ofensas a guarda municipal
STF
Suspensa tramitação de inquérito contra desembargador por ofensas a guarda municipal
Dupla é presa após assaltar entregador em frente conveniência no Jardim Flórida
DOURADOS
Dupla é presa após assaltar entregador em frente conveniência no Jardim Flórida
Entendendo o Autismo Infantil
SAÚDE & BEM - ESTAR
Entendendo o Autismo Infantil
IMUNIZAÇÃO
Prefeitos em Mato Grosso do Sul se planejam para vacinação nas aldeias
DOURADOS
Mulher suspeita que companheiro estuprou neto e é agredida em discussão
ECONOMIA
Caixa paga abono salarial para nascidos em janeiro e fevereiro
HABITAÇÃO
Beneficiários da Agehab podem emitir boleto via aplicativo
COVID-19
Dourados recebe primeiro lote da Coronavac e começa vacinação simbólica nesta manhã

Mais Lidas

DOURADOS
Morto por descarga elétrica pode ter tentado consertar portão
ACIDENTE
Homem morre após sofrer descarga elétrica em Dourados
DOURADOS
Comitê alerta para crescente da Covid e prefeito expede decreto com novas regras
DOURADOS
Em ação conjunta, polícia deflagra operação para investigar crimes