Menu
Busca quarta, 12 de agosto de 2020
(67) 99659-5905
BRASIL

Pandemia vai afetar todas as áreas da educação no país, diz Inep

02 julho 2020 - 20h05Por Agência Brasil

A crise gerada pela pandemia do coronavírus deverá atingir todas as áreas da educação, mas ainda é cedo para saber quais serão seus impactos. A constatação foi feita nesta quinta-feira (2) pelo pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Gustavo Henrique Moraes, durante apresentação do relatório do 3º Ciclo de Monitoramento das Metas do Plano Nacional de Educação/2020.

O impacto financeiro da crise no Ministério da Educação ( MEC) também foi admitido. “O MEC se enfraquece um pouco diante da questão fiscal que o Brasil vive”, reconheceu sem dar detalhes o presidente do Inep, Alexandre Lopes.

Metas

O PNE, como é conhecido, tem 20 metas que devem ser cumpridas 100% em um prazo de 10 anos , de 2014 a 2024. O relatório - que abrange os últimos dados de 2018 e 2019 - divulgado hoje aponta que dos 57 indicadores, apenas 13,4% tiveram a meta atingida.

“Percebe-se que 41 indicadores (73,21%) têm nível de alcance maior do que 50%, 28 indicadores (53,84%) têm nível maior do que 80% e 7 indicadores (13,46%) já chegaram à meta estabelecida. O nível médio de alcance está em 76,22%. Reconhecer esses números é rejeitar a compreensão simplista que afirma que tudo vai mal na educação brasileira; é reconhecer o esforço coletivo dos profissionais da educação que, mesmo que enfrentem adversidades, apostam na escola como o local da esperança e da transformação nacional", ressalta o documento.

Os dados apresentados mostram ainda que apenas 31 de 37 indicadores usados no plano tiveram nível de execução inferior a 60%, mas 21% dos indicadores retrocederam. Sobre o desempenho do Plano, o presidente do Inep disse que, sozinho, o MEC não conseguirá executar todas as 20 metas do PNE até 2024 e lembrou a importância do envolvimento dos estados, municípios, universidades, institutos federais no cumprimento dos objetivos.

Adultos

O pior resultado do relatório diz respeito à meta que estipula que pelo menos 25% das matrículas na Educação de Jovens e Adultos seja integrada à educação profissional. "Aqui está nosso pior indicador: apenas 1,6% de matrículas de jovens adultos estão integradas à educação profissional”, destacou Gustavo Moraes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA
MS registra média de 742 novos casos e 13,9 óbitos de Covid-19 por dia
POLÍCIA
Três homens vão parar na delegacia após flagrante com mais de 300kg de maconha
ECONOMIA
Indústria de alimentos e bebidas cresce 0,8% no primeiro semestre
DOURADOS
Duplicação da MS-156 vai trazer segurança aos moradores do Guaicurus
MATO GROSSO DO SUL
Programa beneficia Agricultura Familiar e assegura comida para famílias carentes
PANDEMIA
Governador de São Paulo testa positivo para o novo coronavírus
DESCAMINHO
Veículos com mais de R$ 160 mil em contrabando são apreendidos
DOURADOS
Promotora esperava melhorias na saúde com nomeação de secretário, agora no 2º sucessor
ECONOMIA
Vendas no comércio varejista crescem 8% de maio para junho, diz IBGE
LEGISLATIVO DE MS
Aprovado mais um pedido de calamidade pública em MS

Mais Lidas

DOURADOS
Suspeito de atropelar motociclista durante racha na BR-163 se apresenta à polícia
DOURADOS
Amigos vão procurar homem e encontram corpo em avançado estado de decomposição
DOURADOS
Motociclista é atingido por veículo que praticava "racha' e tem fratura exposta
CORGUINHO
Jovem morre após sofrer acidente durante passeio de moto com amigos