Menu
Busca quarta, 12 de maio de 2021
(67) 99257-3397
BRASIL

Pandemia pode manter níveis críticos ao longo de abril, diz Fiocruz

16 abril 2021 - 13h33Por Agência Brasil

A manutenção da tendência de alta transmissão da covid-19 no Brasil na semana passada (4 a 10 de abril) indica que a pandemia pode permanecer em níveis críticos ao longo deste mês. O alerta foi feito hoje (16), pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no boletim Observatório Covid-19.

Os pesquisadores apontam que as medidas restritivas adotadas por alguns estados e municípios produziram "êxitos localizados", que podem resultar na redução de casos graves da doença nas próximas semanas. 

Apesar disso, a flexibilização dessas medidas nesse momento pode fazer retornar o ritmo acelerado de transmissão, em um cenário em que o isolamento social mais rigoroso ainda não teve impacto sobre o número de óbitos e a demanda hospitalar dos pacientes com covid-19.

O boletim também aponta o risco de a pandemia se estabilizar em um patamar muito mais elevado que no ano passado. Indicam esse quadro a estabilização na incidência de novos casos da doença e a permanência de níveis críticos na ocupação de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) na maior parte do país. 

Média diária de mortes e UTI

Na semana passada, o Brasil voltou a superar a média diária de mais de 3 mil mortes, e, em 12 de abril, chegou ao recorde de 3.123 mortes na média móvel de sete dias, segundo dados do painel Monitora Covid-19, da Fiocruz. 

A ocupação de UTIs para pacientes com covid-19 permanece acima de 80% em 22 estados e no Distrito Federal. Apesar disso, a fundação destaca a saída do Maranhão da zona de alerta crítico para a zona de alerta intermediário, com 78% de ocupação; além de quedas significativas do indicador no Pará (de 87% para 82%), Amapá (de 91% para 84%), Tocantins (de 95% para 90%), Paraíba (de 77% para 70%) e São Paulo (de 91% para 86%). 

O boletim mostra ainda que, até a sexta-feira da semana passada, 30,2% das pessoas vacinadas contra a covid-19 haviam recebido as duas doses do imunizante, enquanto 69,8% receberam apenas uma dose. 

A Fiocruz reforça que tanto a CoronaVac quanto a Oxford/AstraZeneca preveem duas doses para que o esquema vacinal seja completo. Diante disso, é recomendado planejamento da imunização, monitoramento e busca ativa dos faltosos na segunda dose, o que é necessário para alcançar a proteção pretendida pela vacinação e não desperdiçar recursos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mídias e documentos são apreendidos e passarão por perícia após operação da PF
OPERAÇÃO INDEPENDÊNCIA
Mídias e documentos são apreendidos e passarão por perícia após operação da PF
As guardiãs dos lares!
ARTIGO
As guardiãs dos lares!
Durante ronda, PM flagra homens em vias de fato no Altos do Alvorada
DOURADOS
Durante ronda, PM flagra homens em vias de fato no Altos do Alvorada
Sete em cada dez empreendedores fizeram vendas online na pandemia
ECONOMIA
Sete em cada dez empreendedores fizeram vendas online na pandemia
Policial Militar salva bebê recém-nascido que se afogou com o leite materno
ANAURILÂNDIA
Policial Militar salva bebê recém-nascido que se afogou com o leite materno
PANDEMIA
Dourados tem 132 novos infectados e registra mais de 1,5 mil casos ativos de Covid
POLÍTICA
Marco regulatório do superendividamento volta ao Senado
PANDEMIA
Em CPI, Wajngarten fala sobre campanha contra covid e vacina da Pfizer
OPERAÇÃO METANOIA
Três são presos em fiscalizações da PM em Campo Grande
POLÍCIA
Jovem com mandado em aberto é detido em Bataguassu

Mais Lidas

PANDEMIA
Levado pela Covid-19, "João da União" deixa legado para família e em Dourados
INDÁPOLIS
'Frio' e com roupa ainda suja de sangue, assassino de tio não mostrou arrependimento ao ser preso
DOURADOS
Homem morre no HV após acidente com condutor que empinava moto
PANDEMIA
Novo decreto mantém toque de recolher às 21h e autoriza abertura de cinema em Dourados