Menu
Busca domingo, 05 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Palmeiras revê Rivaldo e testa de força sem Valdivia contra lanterna

17 março 2013 - 10h30

UOL

Os mais saudosistas torcedores do Palmeiras vão matar a saudade de Rivaldo neste domingo. O antigo ídolo do clube, aos 40 anos de idade, vai atuar pelo São Caetano no duelo no Anacleto Campanella, às 15h (MS), válido pela 12ª rodada do Campeonato Paulista. O meia foi integrante de uma geração de glória palmeirense, mas atualmente está em situação difícil, já que o clube do ABC é o último lugar na tabela, com cinco pontos.

Rivaldo atuou no Palmeiras de 1994 a 1996. No período conquistou títulos estadual e brasileiro, e ganhou projeção para o cenário Europeu. O retorno ao clube jamais aconteceu.


“Só conheço o Rivaldo pelas histórias bonitas aqui no Palmeiras. Será uma honra enfrentar ele. Todo mundo fala bastante do sucesso que ele teve no clube”, comentou o meia palmeirense Patrick Vieira.

O veterano do São Caetano é o principal atrativo de um confronto em que o Palmeiras testa a força sem a presença do camisa 10 Valdivia. O chileno teve diagnosticada lesão na coxa direita sofrida no duelo contra o Paulista, na quinta-feira, no Pacaembu, e fica de fora do time por um mês. A ideia de Gilson Kleina é achar o time ideal para os jogos decisivos na Libertadores.

Kleina contava com a presença de Valdivia nos três confrontos finais do grupo 2, mas com o tempo previsto de recuperação o chileno só volta para o último deles, diante do Sporting Cristal, no Peru, dia 18 de abril. Agora, a missão é a de encontrar um substituto.

Quem ganha grande possibilidade de herdar a vaga do chileno é Thiago Real. O meia está retornando após cirurgia no ombro direto realizada no fim do ano passado, e como está inscrito na Libertadores, tem boas chances de ser testado. Já Rondinelli e Leandro, sem vaga no torneio continental, sofrem sem a perspectiva de titularidade no Paulista.

A lesão de Valdivia ocorre no momento em que Kleina testava uma nova formação no Palmeiras. Sem dar pistas da escalação para o duelo contra o São Caetano, o treinador também pode voltar com a tática do 4-4-2 e escalar Patrick Vieira como o responsável pela armação.

O duelo contra o lanterna, e time de pior defesa da competição, com 26 gols sofridos, também pode servir para acabar com o incomodo jejum do centroavante Kleber Pinheiro. Desde que chegou ao Palmeiras, o camisa 9 já autou por 315 minutos, mas sequer balançou a rede.

“Sei que a responsabilidade é muito grande de representar um clube do tamanho do Palmeiras, mas o desafio para mim é maravilhoso. Espero que nestes seis meses, que é o princípio do meu contrato, eu possa pelo menos fazer algo para ajudar. O meu objetivo é esse. Vim para reacender a carreira. Fiquei um tempo sem jogar e vim para recuperar a confiança”, disse.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Homem agride gestante e é assassinado a pauladas em favela
CAMPO GRANDE
Imasul mantém fechado Parque das Nações e Unidades de Conservação Estaduais
PANDEMIA
Apenas Acre e Tocantins não registram mortes por Covid-19 no Brasil
NOVA ANDRADINA
Três homens são presos transportando drogas do MS para Belo Horizonte
PANDEMIA
Brasil ultrapassa marca de 10 mil casos de covid-19
NAVIRAÍ
Líderes religiosos se reúnem para pedir fé a população durante a pandemia
CAMPO GRANDE
PM realiza ações de prevenção ao COVID-19 com limpeza e desinfecção de pelotões
ECONOMIA
Programa para financiar salários de pequenas e médias empresas é criado e aguarda regulamentação
ÁGUA CLARA
Dois jovens são presos por infringir o toque de recolher em MS
CORUMBÁ
Operação de repatriação dos brasileiros vindos da Bolívia tem reforço de helicóptero em MS

Mais Lidas

CORONAVÍRUS
Dourados registra mais dois casos de Covid-19 e MS tem 60 confirmações
ISOLAMENTO
Em 24 horas, apenas uma cidade de MS aparece vermelha no monitoramento do Governo
CORONAVÍRUS
Durante fiscalização, Guarda prende nove pessoas e notifica 60 comércios em Dourados
SUMIÇO
Família procura por jovem que está desaparecida desde a última quarta-feira