Menu
Busca terça, 07 de abril de 2020
(67) 9860-3221

'Não tem mais o que fazer', diz Dilma sobre votação de veto dos royalties

13 dezembro 2012 - 15h30

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira (13) na Rússia que "não tem mais o que fazer" para impedir que o Congresso derrube seu veto às mudanças na divisão dos royalties do petróleo. Para a presidente, o Congresso é autônomo e poderá tomar a decisão que quiser.

Em sessão tumultuada, o plenário do Congresso aprovou na tarde desta quarta-feira (12) o regime de urgência para a apreciação do veto ao artigo 3º da Lei dos Royalties, feito por Dilma.

"Eu já fiz todos os pleitos. O maior é vetar. Não tem mais o que fazer. Não tem nenhum gesto meu mais forte do que o veto. O resto seria impossível. Eu não vou impedir que ninguém vote de acordo com a sua consciência. Que todos votem de acordo com a sua consciência”, afirmou.

"Nós vivemos numa democracia em que existem o Executivo, o Legislativo e o Judiciário. O Poder Legislativo é autônomo, independente e tem todas as condições de decidir contra a minha decisão", disse.

No entanto, a presidente voltou a defender o veto às mudanças que prejudicariam os Estados produtores em contratos que já estão em vigor.

"Eu acredito que minha decisão foi justa diante da legislação. A legislação diz claramente que não pode descumprir contratos. Tomei (a decisão) baseada nisso. A segunda parte na distribuição plena dos ganhos do petróleo para todos os brasileiros de todos os estados", disse.

A presidente disse que a medida provisória que destina ao setor da educação100% dos royalties recolhidos em futuros contratos de produção de petróleo sob o regime de concessão é "importantíssima".

"Tem uma questão importantíssima na minha medida provisória, além dessa discussão sobre a repartição federativa. Acho muito importante que tenhamos um compromisso com a educação no Brasil. Vamos ser um país desenvolvido plenamente quando tivermos uma educação de qualidade para todos. O recurso do petróleo é finito, portanto, tudo o que ganharmos com o petróleo temos de deixar a riqueza mais permanente, que é a educação que cada um carrega", disse.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MATO GROSSO DO SUL
Vinte por cento dos sul-mato-grossenses com coronavírus estão internados
CONTRABANDO
Dois veículos são apreendidos com mil pacotes de cigarros
ARTIGO
Tire suas dúvidas sobre o auxílio-emergencial
REGIÃO
PM apreende adolescentes de 14 anos envolvidos em homicídio
EM SÃO PAULO
Formada em Dourados, pesquisadora participa de estudo sobre o coronavírus em São Paulo
LEGISLATIVO
Por vídeoconferência, aplicação dos recursos do Fundersul é aprovada
VÉSPERA DE FERIADO
Prefeitura decreta ponto facultativo na quinta e coleta de lixo para na sexta
CAMPO GRANDE
Suspeito de furto ateia fogo em celular durante abordagem policial
INFORME PUBLICITÁRIO
Como investidores douradenses podem proteger seu capital em todos os períodos
EMBOSCADA
Suspeito de homicídio teria convidado vítima para caçar tatu em sítio

Mais Lidas

DOURADOS
Dois homens são executados por dupla de moto no Jardim Carisma
FLEXIBILIZAÇÃO
Com restrições, comércio volta a funcionar amanhã em Dourados
COVID-19
Estado tem mais três confirmações do novo coronavírus em 24 horas, todas no interior
DOURADOS
Polícia apura que filho matou pai a pauladas após agredir a mãe grávida