Menu
Busca domingo, 29 de março de 2020
(67) 9860-3221

Mulheres representam 53% dos internautas no Brasil, diz pesquisa

08 março 2013 - 17h40

No Brasil, 53% das pessoas que acessam a internet são mulheres, conforme uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira (8) pela consultoria e-bit. Segundo o levantamento, as mulheres também representam 50,2% do comércio eletrônico no país, embora os homens ainda tenham maior participação em volume financeiro nas compras on-line.

No Dia Internacional da Mulher, a e-bit e a Navegg, empresa de pesquisa de audiência on-line, traçaram um panorama da presença feminina na internet. Nos últimos seis meses, a Navegg acompanhou o comportamento de 35,7 milhões de mulheres na web. Já a e-bit entrevistou 886.672 consumidores on-line.

De acordo com os dados da Navegg, a mulher da classe C é a mais conectada, com 66,09% de participação na web. Do público feminino na internet, 31,64% pertencem às classes A/B, e apenas 1,37% são das D/E. Na classe C, 66,85% das mulheres usam a internet para buscar produtos.

O levantamento também revelou que as mulheres entre 35 e 59 anos são as mais presentes na internet (43,29%). Em seguida, estão as que têm entre 25 e 34 anos (35,94%). Jovens entre 18 e 24 anos correspondem a 12,97%. Mulheres acima de 60 anos representam 4,23%. Meninas entre 13 e 17 anos são apenas 2,68% desse público.

Conforme a Navegg, os conteúdos mais procurados pelas internautas são “Entretenimento”, “Notícias”, “Moda e Beleza”, “Comidas e Bebidas” e “Família”, respectivamente. Para acessá-los, 88,81% delas usam desktops, enquanto 10,36% utilizam algum dispositivo móvel.

Compras on-line

No comércio eletrônico, as mulheres são responsáveis por 50,2% dos pedidos feitos pela internet. Entretanto, quando se trata de volume financeiro, os homens ainda estão à frente e representam 57,48% do faturamento, de acordo com a e-bit. Enquanto o tíquete médio das mulheres é de R$ 289, o dos homens é de R$ 393.

Segundo Cris Rother, diretora de negócios da e-bit, a categoria mais vendida para a ala feminina é a de ‘Moda e Acessórios’, já para os homens são ‘Eletrodomésticos’ e ‘Informática’, ou seja, mercadorias de maior valor agregado. A renda familiar também difere entre consumidores do sexo feminino e masculino. Os homens ganham mais, em média, R$ 4.426. Já as mulheres têm renda média de R$ 3.655.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COXIM
Jovem de 17 anos esfaqueia tio por causa de buzina de carro
PANDEMIA
Ex-técnico René Simões testa positivo para o novo coronavírus
TRÊS MESES
Governo prorroga receitas de medicamentos da Casa de Saúde
74 ANOS
Bahia registra primeira morte de paciente com coronavírus
DOURADOS
Jovem tem moto furtada ao estacionar em via pública por 15 minutos
INTERIOR
Comerciante entrega R$ 15 mil para bandidos que mantinham família refém
FRONTEIRA
Acidente na MS-164 em Ponta Porã leva pai e filho a óbito
DOURADOS
Homem escala muro e entra pela sacada de apartamento para cometer roubo
INTERNACIONAL
EUA e Coreia do Sul investigam disparo de projéteis norte-coreanos
TRÂNSITO
Confusão envolvendo policial tem homem baleado em Campo Grande

Mais Lidas

COVID-19
Saúde confirma coronavírus para mulher internada em Dourados e casos chegam a 28 em MS
COVID-19
Dourados confirma primeiro caso do novo coronavírus
COVID-19
Mulher de 52 anos é o 2º caso de coronavírus em Dourados, total no Estado é de 31
DOURADOS
Sindicato emite nota e diz que empregados foram obrigados a participar de ato