Menu
Busca sexta, 22 de janeiro de 2021
(67) 99257-3397
AEDES AEGIPTY

Ministério da Saúde confirma terceira morte pelo zika vírus no Brasil

11 fevereiro 2016 - 10h56

O Ministério da Saúde confirmou nesta quinta-feira, dia 11 de fevereiro, a terceira morte pelo zika vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, no Brasil.

O paciente era uma jovem de 20 anos, do município de Serrinha, no Rio Grande do Norte. Ela ficou internada em Natal durante 11 dias com problemas respiratórios. A morte foi em abril do ano passado, mas o resultado dos exames saiu apenas agora.

No final de novembro, o Instituto Evandro Chagas confirmou o primeiro caso de morte pelo vírus da zika no Brasil. A vítima foi um homem que morava no estado do Maranhão. Segundo os especialistas, o paciente tinha lúpus, uma doença que afeta o sistema imunológico, e por isso não resistiu à zika.

O segundo caso de morte ligada ao vírus da zika foi o de uma menina de 16 anos, do município de Benevides, no Pará. O comunicado foi feito pelo ministério no dia 28 de novembro.

Ela morreu no final de outubro. Os dados mostram que os sintomas começaram em 29 de setembro, e que a coleta de sangue foi feita sete dias depois, quando o caso foi notificado, em 6 de outubro. Ela apresentou dor de cabeça, náuseas e petéquias (pontos vermelhos na pele e mucosas). "O teste foi positivo para o vírus, confirmado e repetido", disse o ministério na ocasião.

A doença é transmitida pela picada dos mosquitos da família “aedes”, a mesma que transmite dengue e a febre chikungunya. A prevenção é evitar lixo acumulado e não deixar água parada como criadouro de mosquitos.

###Casos de microcefalia
O Ministério da Saúde também confirmou no final do ano passado a relação entre o vírus da zika e o surto de microcefalia na região Nordeste. Na época, o Instituto Evandro Chagas, na capital paraense, encaminhou o resultado de exames realizados em uma bebê, nascida no Ceará, com microcefalia e outras malformações congênitas. Em amostras de sangue e tecidos, foi identificada a presença do vírus Zika.

A partir desse achado do bebê que morreu, o Ministério da Saúde passou a considerar confirmada a relação entre o vírus e a ocorrência de microcefalia. Essa é uma situação inédita na pesquisa científica mundial. As investigações sobre o tema devem continuar para esclarecer questões como a transmissão desse agente, a sua atuação no organismo humano, a infecção do feto e período de maior vulnerabilidade para a gestante. Em análise inicial, o risco está associado aos primeiros três meses de gravidez.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Detran-MS inicia primeiro leilão do ano e mais de 150 veículos
ONLINE
Detran-MS inicia primeiro leilão do ano e mais de 150 veículos
CIÊNCIA
Estudante brasileira de 16 anos descobre asteroide durante pesquisa
DECISÃO
Acidente de trânsito gera indenização e pensão mensal vitalícia
Mais de 700 doses da vacina contra a Covid foram aplicadas em Dourados
IMUNIZAÇÃO 
Mais de 700 doses da vacina contra a Covid foram aplicadas em Dourados
Forças de segurança de MS recebem 250 viaturas nesta sexta-feira
NA CAPITAL
Forças de segurança de MS recebem 250 viaturas nesta sexta-feira
COVID-19
Saúde de MS toma medidas para evitar "fura filas" da vacina
FUTEBOL INTERNACIONAL
Zidane é diagnosticado com o novo coronavírus, diz Real Madrid
REGIÃO
Ferido, Tamanduá-mirim é capturado em região central de Bela Vista
IMUNIZAÇÃO
Distribuição de vacinas da AstraZeneca deve começar neste sábado
TRANSPARÊNCIA COVID
Sistema com relação de imunizados em Dourados será publicado nesta sexta

Mais Lidas

DOURADOS
Segundo corpo encontrado às margens da BR-163 é identificado
VIAGEM SANTA
PF deflagra operação contra tráfico de drogas em empresas de turismo religioso de Dourados
DOURADOS
Um dos corpos encontrados às margens da BR-163 foi quase decapitado
DOURADOS
Alvo da PF, empresário foi preso com armas e fortuna ao sofrer atentado em 2019