Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
PANDEMIA

Medidas provisórias liberam R$ 2,5 bilhões para vacinas contra coronavírus

27 setembro 2020 - 15h20Por Agência Senado

O presidente da República, Jair Bolsonaro, editou duas medidas provisórias para assegurar a entrada do Brasil no projeto Covax Facility, uma aliança internacional que pretende garantir o acesso dos países a uma vacina contra o coronavírus. A MP 1.003/2020 autoriza o governo brasileiro a aderir ao programa, enquanto a MP 1.004/2020 libera R$ 2,5 bilhões para a iniciativa. As duas matérias foram publicadas em edição extra do Diário Oficial da União de quinta-feira (24).

O Covax Facility é administrado pela Gavi Alliance, uma iniciativa da Fundação Bill e Melinda Gates. A parceria público-privada é responsável pela distribuição de vacinas nas áreas mais pobres do mundo. Entre 2000 e 2010, a Gavi Alliance contribuiu com a imunização de 288 milhões de crianças contra doenças como difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, febre amarela e poliomielite.

De acordo com a MP 1.003/2020, a adesão do Brasil ao Covax Facility tem como objetivo “proporcionar o acesso do país a vacinas seguras e eficazes contra a covid-19, sem prejuízo à eventual adesão futura a outros mecanismos ou à aquisição de vacinas por outras modalidades”. O governo brasileiro não fica obrigado a adquirir as vacinas por meio do projeto: a compra é opcional e “dependerá de análise técnica e financeira para cada caso”.

Ainda segundo o texto, as regras definidas pela Lei de Licitações (Lei 9.666, de 1993) “não serão aplicáveis” na eventual aquisição dos imunizantes por meio do Covax Facility. No entanto, a compra deve levar em conta “elementos técnicos”, como preço e atendimento de exigências sanitárias.

Os R$ 2,5 bilhões serão liberados para o Fundo Nacional de Saúde na forma de créditos extraordinários. O aporte exigido para a adesão ao Covax Facility será usado para custear a compra de vacinas, eventuais tributos e custos operacionais do programa. O acordo de compromisso deve ser executado pelo Ministério da Saúde, com a cooperação do Ministério das Relações Exteriores.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TEMPORÁRIOS
Divulgado resultado de seleção para contratação de médicos legistas
NAVIRAÍ
Homem espancou ex com socos e joelhadas, desfigurando o rosto dela
EDUCAÇÃO
UFGD realiza colação de grau de diversos cursos por webconferência
CRIME AMBIENTAL
Homem é multado em R$ 3 mil por matar cachorro de vizinho a pauladas
PONTA PORÃ
Bombeira salva bebê com cordão umbilical enrolado no pescoço
EDUCAÇÃO
UEMS oferta mais de 400 vagas para cursos de graduação EaD em 12 polos
PEDRO GOMES
‘Benzedeira do PCC’ promete amor de volta e mulher perde R$ 17 mil
LEVANTAMENTO
Dourados mantém saldo positivo de empregos pelo quinto mês seguido
DOURADOS
Investigação termina com apreensão de adolescente, drogas, arma e munições
BRASIL
Barroso pede a candidatos que sigam alertas para evitar covid-19

Mais Lidas

DOURADOS
Enquanto filma chuva, interno mostra ‘plantação’ de maconha em cela da PED
BR-463
Homem para carro em bloqueio, desce atirando e morre em confronto com a polícia
PANDEMIA
Menino de 5 anos é a primeira criança a morrer de coronavírus em MS
PROCURADO
Acusado pela morte de ator falsificou documento e disse ter nascido em MS