Menu
Busca sexta, 05 de junho de 2020
(67) 99659-5905
TRABALHADORES

Mais de 37% pagaram dívida com FGTS inativo

18 setembro 2017 - 09h52

Levantamento da Sondagem do Consumidor revela que cerca de 37,7% dos brasileiros que fizeram saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) utilizaram o dinheiro para pagamento de dívidas.

O percentual chegou a 52,8% para pessoas com renda até R$ 2,1 mil e caiu conforme o aumento da renda. Na faixa de R$ 2,1 mil a R$ 4,8 mil, o índice foi de 42,2%; de R$ 4,8 mil a R$ 9,6 mil, foi de 32,4%; e acima de R$ 9,6 mil, de 23,4%.

Elaborada pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre), a pesquisa ouviu mais de 2.047 pessoas em todo o País. De acordo com os dados, o segundo destino mais escolhido para os valores foi a poupança, opção de cerca de 30% dos beneficiários. Entretanto, apenas 11,2% das pessoas na menor faixa de renda disseram poupar, enquanto a média ficou em 50,4% para o grupo de maior poder aquisitivo.

A pesquisa foi realizada em março e em julho. Na primeira fase, os trabalhadores foram questionados sobre o destino prioritário do recurso. Já na segunda, o objetivo era saber, percentualmente, qual havia sido o destino do dinheiro.

De acordo com a FGV Ibre, o consumo não foi apontado como principal uso do montante liberado, mas "surpreendeu e pode explicar uma parcela do bom desempenho do PIB [Produto Interno Bruto] no 2º trimestre" explica, em nota, a instituição. O PIB avançou 0,2% em relação ao primeiro trimestre, puxado, principalmente, pelo consumo das famílias. Em março, na primeira fase da pesquisa, apenas 9,6% declararam que usariam o dinheiro prioritariamente para consumir.

Para a coordenadora da pesquisa, Viviane Seda, a liberação do FGTS inativo por parte do governo ajudou a ampliar o consumo e aliviar a pressão no cenário econômico. Mas, segundo ela, é preciso que outros indicadores acenem com uma melhora para que a retomada seja mais sólida. "Houve uma ligeira redução do endividamento das famílias, mas existe a necessidade de uma recuperação mais efetiva do mercado de trabalho para que elas vislumbrem uma situação financeira melhor nos próximos meses e sejam menos cautelosas em relação à conjuntura econômica do País", avalia Viviane.

Segundo a Caixa Econômica Federal, 25,9 milhões de trabalhadores sacaram os recursos do FGTS. O montante de R$ 44 bilhões representa, aproximadamente, 2,7% do PIB e 88% dos R$ 49,8 bilhões

Deixe seu Comentário

Leia Também

GOIÁS
Bolsonaro vai sem máscara inaugurar hospital, escorrega e cai
JUSTIÇA
Pessoa com deficiência deverá receber suporte para conclusão de CNH
COSTA RICA
Aneurisma cerebral matou jogador de 19 anos, filho de vereadora
CLIMA
Temperatura despenca 11°C em pouco mais de três horas em Dourados
EDUCAÇÃO
Escolas particulares podem retomar aulas presenciais na Capital em julho
SAÚDE
Decreto regulamenta descarte adequado de medicamentos
REPATRIADO
Brasileiro é “resgatado” na Bolívia após contrair coronavírus
ECONOMIA
Dólar recua e fecha abaixo de R$ 5 pela primeira vez desde março
PENA MANTIDA
Justiça nega recurso de condenado por estelionato
TRIBUTO
Prazo para declarar Imposto de Renda termina no dia 30

Mais Lidas

PANDEMIA
Em disparada, casos de Covid-19 tem novo recorde diário e passam de 400 em Dourados
EPICENTRO
Casos de coronavírus "explodem" e Dourados registra recorde de confirmações
PANDEMIA
Comitê aponta surtos de coronavírus em dois pontos de Dourados
DOURADOS
Conselho aponta riscos de contaminação em massa por coronavírus no HV