Menu
Busca quarta, 23 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
BRASIL

Maia: É direito do Senado votar projeto sobre prisão em 2ª instância

04 dezembro 2019 - 16h35Por Agência Brasil

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse hoje (4) que “é um direito” do Senado votar o Projeto de Lei (PLS) 166/18, que altera o Código de Processo Penal para disciplinar a prisão após condenação em segunda instância. Maia deu a declaração após a presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), anunciar que o projeto será o primeiro item da pauta da próxima reunião do colegiado, marcada para terça-feira (10).

A decisão de Simone Tebet contrariou acordo feito na semana passada entre Maia, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e líderes das duas Casas. Pelo acordo, o Senado desistiria de avançar no projeto de lei para apoiar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 199/19, que tramita na Câmara e cuja comissão especial foi instalada na manhã desta quarta-feira.

“É um direito do Senado, a gente trata da Câmara. A Câmara hoje instalou a comissão especial com uma proposta que é constitucional e que resolve o problema de forma definitiva em todos os tipos de crime, o que eu acho que é o mais correto e o mais justo com a sociedade brasileira”, afirmou Maia.

A PEC, que teve a admissibilidade aprovada pela CCJ da Câmara em 20 de novembro, altera os artigos 102 e 105 da Constituição para estabelecer o trânsito em julgado da ação penal após o julgamento em segunda instância, extinguindo os recursos aos tribunais superiores. Para recorrer a esses tribunais, os interessados deverão iniciar outra ação.

A PEC não mexe no Artigo 5º da Carta Magna, que diz diz que ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado da sentença penal. Em vez disso, encerra trânsito em julgado da ação penal na segunda instância, que na Justiça comum são os tribunais de Justiça em cada estado e, na Justiça Federal, os tribunais regionais federais (TRFs), que são cinco. Ou seja, extingue os recursos aos tribunais superiores. Para recorrer a esses tribunais, os interessados deverão iniciar outra ação.

Pelo regimento da Câmara, o colegiado terá prazo de 10 sessões do plenário para que os parlamentares apresentem emendas ao texto. De acordo com Maia, a previsão é de que o trabalho da comissão seja concluído até março do ano que vem.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COMBUSTÍVEIS
ANP realiza mais de 7,4 mil fiscalizações durante no semestre de 2020
CAPITAL
Adolescente que fazia entrega de drogas em domicídio acaba apreendido
ORDEM DO DIA
Obrigatoriedade de álcool gel nos estabelecimentos é aprovada na Alems
ECONOMIA
Contas externas registram saldo positivo de US$ 3,7 bilhões
SEGURANÇA PÚBLICA
Governo do Estado forma 206 novos sargentos da Polícia Militar
FUTEBOL
Libertadores tem clássico Gre-Nal nesta quarta
BRASIL
Câmara instala comissão para reformar Lei da Lavagem de Dinheiro
CAMPO GRANDE
Bêbado é preso fazendo 'zigue-zague' nas ruas da Capital
IBGE
Em MS, mulheres respeitam mais medidas de isolamento do que os homens
TRÁFICO
Polícia encontra quase meia tonelada de maconha no porta-malas de veículo

Mais Lidas

DOURADOS
Motorista bêbado atropela cinco pessoas que voltavam da igreja no Novo Horizonte
DOURADOS
Após bebedeira, homem é assassinado por “dar em cima” de esposa do acusado
DOURADOS
Motorista que fez 'strike' e atropelou cinco no Novo Horizonte é levado à PED
DOURADOS
Carro carregado com calhas capota após colisão e mulher fica ferida