Menu
Busca sábado, 15 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Justiça britânica dá R$ 231 mil a brasileira ofendida no trabalho

22 março 2011 - 09h40

Uma brasileira ridicularizada no trabalho e apelidada pelos colegas de Bob Esponja por causa de seu sotaque ganhou na Justiça britânica uma indenização de quase 142 mil libras (cerca de R$ 231 mil). Lícia Faithful, 31 anos, disse ter sofrido com depressão e estresse pós-traumático após 18 meses sofrendo discriminação racial na empresa de seguros médicos onde trabalhava, na cidade de Royal Tunbridge Wells, no sul da Grã-Bretanha.

Segundo seu relato à Justiça trabalhista, colegas gravavam sua voz e tocavam as gravações para ela, debochando de seu sotaque. Eles se referiam a ela como Bob Esponja, personagem de desenho animado conhecido pela voz aguda e anasalada. Segundo Faithful, um colega chegou a perguntar se ela cheirava cocaína, por causa de sua origem sul-americana. Em uma viagem de ônibus da empresa, na qual ela era a única não-britânica, um colega teria feito uma referência aos "malditos estrangeiros". A brasileira reclamou ainda que os colegas tiravam e escondiam as bandeiras brasileiras que mantinha em sua mesa e pediram a ela que não usasse uma blusa com a bandeira brasileira.

Bônus
Faithful, que ganhava um salário anual de 17.765 libras (R$ 28.870), também disse ter sido discriminada pelos chefes na distribuição de bônus na empresa. Ela acabou deixando a empresa em 2008, sofrendo com depressão, estresse pós-traumático e agorafobia (medo de espaços abertos ou situações sociais fora de controle). Segundo a juíza Gill Sage, do Tribunal do Trabalho de Ashford, no condado de Kent, a brasileira sofreu "o mais sério caso de discriminação" e foi tratada "menos favoravelmente por uma questão racial".

Para a juíza, Faithful enfrentou um ambiente de trabalho "hostil e degradante" numa empresa que não a apoiava. Segundo Sage, havia "evidências substanciais" de que colegas a ridicularizavam. Um comunicado da empresa Axa PPP Healthcare, divulgado após a decisão da Justiça, afirma que a companhia lamentava o desfecho do caso e estava estudando maneiras de melhorar o tratamento de seus empregados. "O tratamento de nossos empregados com justiça é muito importante para nós e estamos trabalhando duro para criar uma cultura de trabalho positiva e apoiadora, na qual os empregados desfrutem de seu ambiente de trabalho e sintam que podem dar o seu melhor em servir nossos clientes", afirma o comunicado da empresa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Com baixa procura, saúde amplia público alvo para Dose 2 de Coronavac em Dourados
IMUNIZAÇÃO
Com baixa procura, saúde amplia público alvo para Dose 2 de Coronavac em Dourados
FUTEBOL
Final do Cariocão 2021 começa neste sábado com o clássico Fla x Flu
TV furtada de comércio é recuperada e mulher presa por receptação
DOURADOS
TV furtada de comércio é recuperada e mulher presa por receptação
Deputado quer posto de saúde para atender cinco bairros em Dourados
LEGISLATIVO DE MS
Deputado quer posto de saúde para atender cinco bairros em Dourados
LEVOU OUTROS PERTENCES DO 'BAÚ'
Jovem tem moto furtada no centro de Dourados
PERMISSÃO
Detran-MS continua mutirão de renovação de CNH com EAR neste sábado
DOURADOS
Bandido furta comércio e é preso logo depois com bebidas que havia levado
CAMPO GRANDE
Após discussão, jovem bate veículo em poste e namorada que estava no capô morre
SAÚDE & BEM-ESTAR
Hospital dos Olhos Dourados orienta sobre a importância do acompanhamento oftalmológico na infância
ACIMA DE 69 ANOS
Dourados tem 'Dia D' para 2ª dose da coronavac em idosos acima de 69 anos

Mais Lidas

CORONAVÍRUS
Murilo Zauith passa por reabilitação e segue internado em SP
TRÁFICO DE DROGAS
Chefe do 'Comando Vermelho' e foragido há seis meses é preso em Dourados
DOURADOS
Criança encontrada morta apresentou problemas estomacais uma semana antes
CACHOEIRINHA
Polícia fecha ponto de distribuição de drogas e prende abastecedor