Menu
Busca sexta, 07 de agosto de 2020
(67) 99659-5905
ABUSO

João de Deus é condenado a 19 anos de prisão

19 dezembro 2019 - 16h20Por Agência Brasil

A Justiça de Goiás condenou, hoje (19), o médium João de Deus a 19 anos e quatro meses de prisão por abuso sexual contra mulheres que o procuravam em busca de tratamento espiritual, em Abadiânia, interior do estado de Goiás.

A sentença é a primeira proferida nos processos envolvendo o médium, que está preso desde dezembro do ano passado, quando surgiram as primeiras denúncias.

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) apresentou mais de dez denúncias contra João de Deus, por crimes como estupro de vulnerável e violação sexual. Segundo o MP, os crimes ocorreram ao menos desde 1990, sendo interrompidos em 2018, quando as primeiras denúncias foram divulgadas pela imprensa.

A defesa do médium informou que ainda não teve acesso à sentença.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LEGISLATIVO
Câmara de Dourados divulga material informativo sobre a Covid-19
DRACCO
Mato Grosso do Sul cria Departamento de Repressão à Corrupção
DOURADOS
Procon adota medidas de biossegurança para proteger funcionários e usuários
DOURADOS
Equipe do Samu se desloca para atender vítima de facadas em bairro
SIDROLÂNDIA
Motorista fica ferido após capotar veículo na rodovia MS-162
CARACOL
Polícia apreende arma de fogo, munições e dinheiro em espécie
FUTEBOL
Cuca é o novo técnico do Santos e pode estrear no domingo pelo Brasileirão
EMENDA
Com apoio de Marçal, Nova Andradina inaugura Centro de Convenções
SAÚDE PÚBLICA
SES inaugura hospital de campanha e ativa mais 10 leitos de UTI-Covid no Regional de Ponta Porã
DOURADOS
Empresa vence licitação para revitalizar margens de córrego por R$ 264 mil

Mais Lidas

PANDEMIA
Dourados registra mais três óbitos por coronavírus; um deles é de outro município
DOURADOS
Guardas capturam foragido da justiça próximo a residenciais de luxo
INVESTIGAÇÕES
Polícia desarticula quadrilha responsável por furtos e tentativa de homicídio em Dourados
TRÁFICO DE DROGAS
Polícia prende dupla que contratou guincho para carregar veículo com drogas