Menu
Busca sábado, 28 de março de 2020
(67) 9860-3221

Geração térmica não compromete queda na conta de luz, diz ministério

08 janeiro 2013 - 14h24

O secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, disse nesta terça-feira (8) que o aumento do custo com geração de energia térmica no país não vai impactar na redução de 20% na conta de luz prometida pelo governo federal a partir de fevereiro.

“[A operação das térmicas] não vai impactar nada. Os 20% [de redução na conta de luz] é estrutural”, disse Zimmermann ao chegar à sede do Ministério de Minas e Energia, em Brasília.

Em entrevista ontem ao Jornal Nacional, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse que a geração de energia térmica no país – necessária por conta do baixo nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas -, vai custar cerca de R$ 400 milhões por mês aos brasileiros e levar a um aumento na conta de luz inferior a 1%.

Dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) apontam que o nível das represas das usinas localizadas no Sudeste e no Centro-Oeste já é praticamente igual à verificada em dezembro de 2000, pouco antes de o governo federal decretar o racionamento de energia, em 2001.

Assim como Lobão, Zimmermann também negou risco de um novo racionamento de energia no país. Segundo ele, hoje há um “equilíbrio estrutural” no sistema elétrico brasileiro.

“Não tem isso [de racionamento] porque nós temos um equilíbrio estrutural. É bem diferente do que nós tivemos em 2001. Lá tinha problema de falta de usina efetivamente, e falta de linha [de transmissão]. Hoje não tem. Hoje temos um problema conjuntural”, disse Zimmermann.

Reunião
O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), formado pela cúpula do governo federal na área de energia, se reúne nesta quarta-feira (9), em Brasília, para discutir o nível dos reservatórios de usinas hidrelétricas do país.

Representantes do governo admitem que a situação exige atenção, mas negam, por enquanto, qualquer risco de racionamento. Em entrevista no dia 27 de dezembro, a presidente Dilma Rousseff afirmou ser “ridículo” dizer que o Brasil corra risco de falta de energia. Além do baixo nível dos reservatórios, o país enfrentou uma série de blecautes nos últimos meses de 2012 – foram seis a partir de setembro.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRÊS LAGOAS
Polícia atira com bala de borracha em rapaz que ameaçava mãe após surto
CRIATIVIDADE
Escolas estaduais criam canais para compartilhamento de conteúdo
ELDORADO
Dupla invade casa, faz família refém e foge com dinheiro e caminhonete
ESTADO
Estiagem e baixa umidade do ar devem predominar nos próximos meses
LAGUNA CARAPÃ
Veículo é apreendido seguindo para Santa Catarina com 70 kg de maconha
COVID-19
Alerta constante pode causar transtornos a profissionais de saúde
COSTA RICA
Bebê de dois meses cai de rede e sofre traumatismo craniano
Saúde e Bem-estar
5 motivos para você doar sangue
AQUIDAUANA
Quatro homens são autuados em R$ 10,4 mil por pesca predatória em MS
BELEZA E ESTÉTICA
6 dicas de como cuidar das unhas e fazer o esmalte durar mais

Mais Lidas

COVID-19
Saúde confirma coronavírus para mulher internada em Dourados e casos chegam a 28 em MS
PANDEMIA
Bebê de três meses é novo caso confirmado de coronavírus em MS
DOURADOS
Sindicato emite nota e diz que empregados foram obrigados a participar de ato
BATAYPORÃ
Paciente com suspeita de coronavírus é internada em estado grave em Dourados