Menu
Busca quarta, 25 de novembro de 2020
(67) 99659-5905
ECONOMIA

Estimativa do mercado financeiro para inflação cai para 3,22%

17 fevereiro 2020 - 10h25Por Agência Brasil

As instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) reduziram a estimativa para a inflação este ano, pela sétima vez seguida. Desta vez, a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país – caiu de 3,25% para 3,22%. A informação consta no boletim Focus, pesquisa semanal do BC que traz as projeções de instituições para os principais indicadores econômicos.

Para 2021, a estimativa de inflação se mantém em 3,75%. A previsão para os anos seguintes também não teve alterações: 3,50% em 2022 e 2023.

A projeção para 2020 está abaixo do centro da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é 4% em 2020. Para 2021, a meta é 3,75% e para 2022, 3,50%. O intervalo de tolerância para cada ano é 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo, ou seja, em 2020, por exemplo, o limite mínimo da meta de inflação é 2,5% e o máximo, 5,5%.

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 4,25% ao ano. Para o mercado financeiro, a Selic deve ser mantida no atual patamar até o fim do ano. Em 2021, a expectativa é de aumento da taxa básica, encerrando o período em 6% ao ano. Para o fim de 2022 e 2023, a previsão é 6,5% ao ano.

Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Já a manutenção da Selic indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

Atividade econômica

A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – caiu de 2,30% para 2,23% em 2020. As estimativas das instituições financeiras para os anos seguintes - 2021, 2022 e 2023 – permanecem em 2,50%.

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar está em R$ 4,10 para o fim deste ano e subiu de R$ 4,10 para R$ 4,11, ao fim de 2021.

Deixe seu Comentário

Leia Também

OAB avalia suspender advogado que pagava para estuprar garotas
ANASTÁCIO
OAB avalia suspender advogado que pagava para estuprar garotas
EDUCAÇÃO
UFGD sediará um dos maiores eventos do agronegócio brasileiro
PARANAÍBA
Idoso acusado de estuprar adolescentes morre antes de ser julgado
JUSTIÇA
Casal será indenizado por não ter passagens emitidas por agência de viagem
TRF-3 manda UFGD encaminhar lista tríplice ao MEC
IMBRÓGLIO
TRF-3 manda UFGD encaminhar lista tríplice ao MEC
CAPITAL
Filho de massagista ajudou a esquartejar chargista e levou corpo
REGIÃO
PM captura três foragidos da justiça durante rondas em Bataguassu
COTAÇÃO
Dólar fecha em queda com expectativa de liquidez global
LIBERTADORES
Partida entre Inter e Boca Juniors é adiada após morte de Maradona
0h ÀS 5H
Prefeitura de Campo Grande define retorno do toque de recolher

Mais Lidas

VIOLÊNCIA
Mulher esfaqueia ex após discussão em hotel no Centro de Dourados
ENTERPRISE
Operação contra tráfico internacional de cocaína cumpre mandado de prisão em Dourados
CAPITAL
Funcionária de restaurante é presa em flagrante após furtar dinheiro do caixa
CRIME BÁRBARO
Suspeita de esquartejar e colocar corpo de namorado em malas se entrega à polícia