Menu
Busca terça, 07 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Eike perde num dia R$ 6,8 bi e vira 3º mais rico

14 dezembro 2012 - 17h00

O empresário Eike Batista caiu para o posto de 3º bilionário mais rico do Brasil no ranking da Bloomberg, após "perder" US$ 6,8 bilhões de sua fortuna em um só dia, segundo novos cálculos da Bloomberg divulgados nesta sexta-feira (14).

No dia 12, Eike ocupava a 36ª posição, com uma fortuna de US$ 19,5 bilhões. Agora, Eike ocupa o posto de 73º mais rico do mundo, com um patrimônio avaliado em US$ 12,7 bilhões, atrás de Jorge Paulo Lemann, investidor da Anheuser-Busch InBev, e de Dirce Camargo, herdeira do setor de construção civil.

Novas informações sobre os termos da venda de 5,63% da holding EBX, em março, por US$ 2 bilhões para o fundo Mubadala Development, de Abu Dhabi, nos Emirados Árabesu, levaram à reavaliação do valor do 'império' de commodities do empresário.

Segundo reportagem da Bloomberg, no acordo com a Mubadala Development Co. o bilionário brasileiro concordou em ceder uma fatia adicional não especificada de sua holding em 2019 se não entregar retorno anual de 5%, sobre o investimento do fundo. As informações são de uma pessoa com conhecimento do acordo.

Os termos publicados inicialmente sobre a transação avaliavam o conglomerado de Eike em US$ 35,5 bilhões. Com base no preço das ações das empresas de capital aberto em que o bilionário tem participação, na época do anúncio, o acordo avaliava as empresas fechadas de Eike em US$ 10,6 bilhões. Agora, o ranking da Bloomberg deixou de considerar esse prêmio às empresas fechadas porque os termos do acordo consideram um valor total menor para o grupo do brasileiro.

Na reportagem, a Bloomberg cita ainda "atrasos de produção e metas não atendidas" pela grupo de Eike.

Procurado pela agência de notícias, Eike não comentou a reavaliação feita pelo ranking e repetiu a mensagem enviada po e-mail enviado em 30 de novembro, quando ele perdeu o título de pessoa mais rica do país para Lemann. “O Brasil merece ter mais brasileiros nessa lista”.

As assessorias da EBX e do Mubadala também não quiseram comentar a estrutura do acordo entre as duas empresas anunciado em março.

No final de março, após a negociação com o fundo Mubadala, o patrimônio de Eike chegou a ser avaliado em R$ 34,5 bilhões, o que colocou o empresário no 8º lugar no ranking da Bloomberg. No dia 30 de novembro, o empresário perdeu o título de pessoa mais rica do Brasil para Lemann, mas recuperou o posto no dia 8 de dezembro, e no dia 11 tinha subido para a 35ª posição.

Agora, o brasileiro mais bem colocado no ranking é Lemann, que ocupa a 36ª posição, com patrimônio avaliado em US$ 18,9 bilhões.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EM SÃO PAULO
Formada em Dourados, pesquisadora participa de estudo sobre o coronavírus
LEGISLATIVO
Por vídeoconferência, aplicação dos recursos do Fundersul é aprovada
VÉSPERA DE FERIADO
Prefeitura decreta ponto facultativo na quinta e coleta de lixo para na sexta
CAMPO GRANDE
Supeito de furto ateia fogo em celular durante abordagem policial
INFORME PUBLICITÁRIO
Como investidores douradenses podem proteger seu capital em todos os períodos
EMBOSCADA
Suspeito de homicídio teria convidado vítima para caçar tatu em sítio
NO VERMELHO
Déficit público deve caminhar para R$ 500 bilhões, diz secretário
CONTRA O COVID-19
Barreiras sanitárias abordam sete mil pessoas por dia em Mato Grosso do Sul
DOURADOS
Aulas na Rede Municipal vão seguir calendário estadual e ficam suspensas até maio
POLÍCIA
Caminhão com 450 mil maços de cigarro é apreendido em Caarapó

Mais Lidas

DOURADOS
Dois homens são executados por dupla de moto no Jardim Carisma
FLEXIBILIZAÇÃO
Com restrições, comércio volta a funcionar amanhã em Dourados
COVID-19
Estado tem mais três confirmações do novo coronavírus em 24 horas, todas no interior
DOURADOS
Polícia apura que filho matou pai a pauladas após agredir a mãe grávida