quinta, 18 de agosto de 2022
Dourados
30°max
18°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Dirceu não vê pressões inflacionárias no Brasil

13 setembro 2004 - 16h56

"Eu não vejo onde está a pressão inflacionária que pode colocar em risco o controle da inflação". A afirmação foi feita nesta segunda-feira pelo ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, se referindo ao possível aumento dos juros no País. O Copom (Comitê de Política Monetária) anuncia quarta-feira mudanças ou a permanência da taxa básica de juros, hoje em 16%."Mas essa não é a opinião de quem tem o poder de tomar essa decisão", afirmou o ministro se referindo ao Banco Central (BC), dando a entender que os juros podem subir após a reunião do Copom.Na opinião de Dirceu, as pressões e contra-pressões na inflação estabelecem avaliações diferenciadas e que muitos consideram que não há pressão inflacionária e, portanto, não há necessidade de aumento de juros."Eu mesmo esperava juro de 13% até o final deste ano e com o País retomando o crescimento eu fiquei ainda mais convencido disso", afirmou. Segundo o ministro, não há pressão inflacionária que justifique aumento de juros porque os preços que vêm pesando no índice são de alimentos e preços administrados, que tem oscilações e não são capazes de comprometer a meta de inflação. Dirceu defende que a sociedade debata o problema dos juros. "Temos que tirar esse véu de proibição", afirmou.Para o ministro da Casa Civil nenhuma decisão do Copom pode barrar também o crescimento. Mas "um erro cometido na política de juros pode ser mais prejudicial à economia do que uma alta na taxa Selic", afirmou. Dirceu ressaltou também a importância das reformas para impulsionar o crescimento do País e torná-lo sustentável.Ele defendeu a construção de uma aliança popular-empresarial para manter o crescimento econômico. Segundo o ministro, existem alguns problemas de crescimento no País "que não são resolvidos somente no governo, no Parlamento ou só no partido; é necessária a participação de toda a sociedade", concluiu.Dirceu falou esta segunda-feira no 1º Fórum de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em São Paulo. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

IVINHEMA

Jovem é preso suspeito de estuprar uma colega de escola de 12 anos

POLÍTICA

Soraya Thronicke propõe substituir impostos federais por um só tributo

Vendedor é preso após oferecer carona e beijar menina de 12 anos

JUDICIÁRIO

STF retoma nesta quinta julgamento sobre nova Lei de Improbidade

CORUMBÁ

Homem é preso por agredir e manter esposa em cárcere

GERAL

Jogos da Copa da Juventude começam no dia 26 de agosto em Dourados

PM é denunciado por tortura cometida quando 'caçava' assassinos do filho

ECONOMIA

Empréstimo consignado do Auxílio Brasil deve começar em setembro

PF cumpre mandado de busca no envio de drogas sintéticas pelos Correios

ECONOMIA

Saiba como declarar o Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural

Mais Lidas

TRAGÉDIA

Passageiro tem corpo dilacerado ao cair de moto e ser atropelado por carreta 

BELA VISTA

Acidente em estrada vicinal mata líder sindical em MS

ESTADO GRAVE

Mulher é esfaqueada por vizinho por se recusar a emprestar carregador

NOVA ANDRADINA

Funcionário de companhia de água encontra feto de bebê em esgoto