quarta, 06 de julho de 2022
Dourados
31°max
14°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
JORNALISTA E INDIGENISTA

Corpos de Dom e Bruno são entregues às famílias

23 junho 2022 - 21h35Por Redação

A Polícia Federal transportou hoje (23) os restos mortais do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira de Brasília para Rio de Janeiro e Recife, respectivamente, onde foram liberados para suas famílias. O brasileiro será velado e cremado amanhã (24), enquanto o britânico terá seu funeral e cremação realizados no próximo domingo (26).

O avião da Polícia Federal com os corpos decolou de Brasília por volta de 14h e foi primeiro ao Rio de Janeiro, onde chegou pouco antes das 16h, no Aeroporto Internacional do Galeão. Alguns minutos depois, o voo seguiu para o Aeroporto Internacional de Guararapes, no Recife, onde pousou no início da noite, às 18h35.

O velório de Bruno Pereira está marcado para amanhã (24), às 9h, no município de Paulista, na região metropolitana de Recife. A cremação está marcada para as 15h do mesmo dia. Já o jornalista Dom Phillips será velado em Niterói, no Rio de Janeiro, com funeral e cremação marcados para domingo (26), a partir das 9h.

A Polícia Federal ainda investiga as circunstâncias em que os dois foram mortos na Reserva Indígena do Vale do Javari, no Amazonas.

Os dois foram vistos na região pela última vez no dia 5 de junho, e, após buscas, restos mortais foram encontrados no dia 15 de junho. No dia seguinte, os corpos foram levados para Brasília, onde foram periciados e identificados pelo Instituto Nacional de Criminalística.

Os corpos foram localizados em um local indicado pelo pescador Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como "Pelado”. Ele confessou participação e foi preso.

Em nota divulgada no último sábado (18), a PF informou que Bruno Pereira foi morto com dois tiros na região abdominal e torácica, e um na cabeça, enquanto Dom Phillips levou um tiro no abdômen/tórax. A munição usada no assassinato foi típica de caça.

Dom Phillips era colaborador do jornal britânico The Guardian e já havia produzido reportagens sobre desmatamento na Floresta Amazônica. Bruno Pereira era servidor licenciado da Fundação Nacional do Índio (Funai) e denunciava ameaças sofridas na região, informação confirmada pela PF. Ele atuava como colaborador da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja), uma entidade que tinha como foco impedir invasão da reserva por pescadores, caçadores e narcotraficantes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Liandra pede melhorias nos postos de saúde do Idelfonso Pedroso e Altos do Indaiá
DOURADOS

Liandra pede melhorias nos postos de saúde do Idelfonso Pedroso e Altos do Indaiá

ASSEMBLEIA DE MS

LDO é aprovada em redação final e segue para sanção

MEC divulga hoje resultado de 2ª edição do Sisu 2022
BRASIL

MEC divulga hoje resultado de 2ª edição do Sisu 2022

MATO GROSSO DO SUL

Divulgado resultado preliminar da pontuação do Bolsa Técnico

Barbosinha atende comunidade e consegue quadra de esporte para alunos
CAMAPUÃ

Barbosinha atende comunidade e consegue quadra de esporte para alunos

ESTELIONATO

Enganada no 'WhatsApp', idosa deposita mais de R$ 18 mil em conta desconhecida

TRÊS LAGOAS

Motociclista morre após bater contra placa de sinalização

CARGA TRIBUTÁRIA

Governo anuncia redução do ICMS da gasolina, álcool e energia para 17%

PERSEGUIÇÃO

Após capotamento, carro com maconha pega fogo na MS-338

LIBERTADORES

Flamengo e Palmeiras entram com vantagem em busca da vaga nas quartas

Mais Lidas

DOURADOS

Cinco professores estavam em veículo que se envolveu em acidente no Itahum

DOURADOS

Prefeitura abre concurso com quase 60 vagas com salários que chegam a R$ 8,3 mil

DOURADOS

Cantor é outro envolvido em acidente que deixou feridos entre Dourados e Itahum

CRIME PASSIONAL

Autor de homicídio no Flórida se passou pela própria esposa para atrair vítima e cometer o crime