Menu
Busca quinta, 09 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Consulado dos EUA dá visto, mas segura passaportes em SP

01 dezembro 2012 - 17h43

"Horrível, estou desesperado. Por favor, não quero mais o visto só meu documento e sair de aqui!". O empresário Márcio, 29, gritava ontem à supervisora do Centro de Solicitação de Visto dos EUA, no Alto de Pinheiros, em São Paulo, mas a resposta era sempre a mesma: "Se não foi chamado é porque seu passaporte não foi encontrado". Ele caiu em lágrimas.



É o terceiro dia que Márcio, que não quis dar o sobrenome, foi lá, na frente daquele escritório, idealizado para agilizar a concessão de vistos dos brasileiros para viajar aos Estados Unidos.

Ele organizou uma viagem para o filho mais novo conhecer o parque Disney, na Flórida, mas o programa ainda pende por um fio.

Um mês após solicitar o visto norte-americano, ele conseguiu retirar os documentos de toda a família, mas o do menino não apareceu.

"Enviamos e-mails perguntando, mas eles enviam respostas automáticas", disse. As passagens são para hoje.

SERVIÇO SUSPENSO

Após os Correios conseguirem, no final de outubro, que a Justiça impedisse a DHL de continuar com a entrega de passaportes, o Consulado dos EUA ainda não faz o envio a domicílio dos documentos.

"Há 14 mil passaportes misturados aí dentro, se o seu ainda não foi encontrado, não posso fazer nada pelo senhor," afirmava a supervisora para Tiago Donato, 28, outro empresário indignado após ter cancelado sua viagem de negócios.

"Ontem apareceu na internet que meu passaporte estava pronto, hoje entrei no site e a informação não está mais lá. Não entendo mais nada", disse Donato depois de cinco horas de espera.

A DHL foi contratada pela CSC, responsável pelos centros de solicitação do visto, até os Correios a denunciar pela quebra do monopólio postal que a estatal possui. Com a suspensão de envio dos passaportes, eles se acumularam e o consulado parou de agendar horários de retirada dos documentos.

A alternativa, agora, é ir ao centro de atendimento do consulado no Alto de Pinheiros, dar o nome e esperar várias horas até os funcionários encontrarem o documento.

"Isto é uma cachorrada", lamentava Munida Haddad, 75, que, sem prioridade, aguardava em pé pela supervisora. Ontem, ao menos 70 pessoas, a maioria sem agendamento, esperavam para retirar o passaporte, mesmo sem garantias.

Os Correios informaram que, desde 29 de outubro, realizaram oito teleconferências e uma reunião presencial com a CSC para restabelecer os envios de passaportes. "Apesar dos Correios estarem prontos para recomeçar imediatamente a distribuição dos documentos, a CSC não se posicionou", disse à Folha a gerente de relações institucionais da estatal.

O Consulado dos EUA disse que "no momento não tem atualizações sobre o processo de devolução de passaportes" e desconhece quaisquer problemas na entrega.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Proprietário de Frigorífico é encontrado morto em Deodápolis
TEMPO
Quinta-feira de sol com algumas nuvens em Dourados; não chove
CAMPO GRANDE
Bandidos ameaçaram cortar dedos de mãe e filho feitos reféns em assalto
ECONOMIA
Emendas do senador Nelsinho atende Dourados e mais quatro municípios
AQUIDAUANA
Homem que emprestou moto a autor de feminicídio responderá criminalmente
REGIÃO
Pagamento das parcelas do FCO empresarial está suspenso até dezembro
JURADO DE MORTE
Jovem arremessa ‘pombos’ para dentro de presídio para quitar dívida
DOURADOS
Dupla é presa acusada de tentativa de homicídio e fazer criança como escudo
PANDEMIA
Paraguai estende quarentena e fronteiras permanecem fechadas
JUSTIÇA
Proprietária deve ser ressarcida pela venda de imóvel adquirido há 25 anos

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher tenta desviar de buraco, é atropelada por carreta e morre
DOURADOS
Assassinos de homem no Parque das Nações roubaram celular de testemunha
DOURADOS
Na volta ao atendimento, populares formam filas longas em frente a agências bancárias
DOURADOS
Mulher morta em acidente cursava pedagogia e terá corpo levado a Naviraí