Menu
Busca quarta, 12 de maio de 2021
(67) 99257-3397
POLÍTICA

Conass aponta falhas no combate à covid-19 e pede recursos ao Senado

22 abril 2021 - 13h37Por Agência Brasil

O presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Carlos Eduardo de Oliveira Lula, avaliou nesta quinta-feira (22) que desde o início da pandemia há um grande conflito federativo no Brasil. “A gente não conseguiu unir os esforços da União aos de estados e municípios para ter uma condução unificada e coerente das medidas que precisavam ser implementadas. A gente sabe que muitas medidas, do ponto de vista sanitário, são complexas e difíceis e trazem consequências econômicas e sociais, mas a dicotomia entre economia e saúde é uma dicotomia falsa”, avaliou durante audiência pública na Comissão Temporária da Covid -19 no Senado.

Além da falta de uma coordenação nacional para as ações, Carlos Eduardo disse que o Brasil esbarra em uma baixa cobertura vacinal, por causa da falta de imunizantes para atender o mercado mundial e no financiamento insuficiente da saúde. “A gente já estimava, Conass e Conasems [Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde], que haveria uma diminuição no final de abril para meados de maio, e isso é verdade, só que essa diminuição do número de óbitos ocorreu num processo muito mais lento do que a gente esperava”, disse.

Segundo Lula , as novas variantes da covid-19 - são 92 em circulação - sendo a mais comum no Brasil a descoberta em Manaus, têm afetado de maneira muito mais grave a população mais jovem, o que tem estabilizado a doença “em um patamar muito alto”. “Isso quer dizer que a gente continua com um número muito alto de internados e deve continuar, infelizmente, com um número muito alto de óbitos por essa razão”, avaliou. Outro problema destacado pelo Conass aos senadores foi a falta de financiamento adequado da saúde.

Antes da pandemia, o presidente do Conass disse que entre leitos adultos e pediátricos havia um déficit histórico de, pelo menos, 13 mil vagas de UTI a serem financiados pelo Ministério da Saúde. “Ainda há esse déficit. A gente tem 19 mil leitos e tem pouco mais de dez mil que o ministério [da Saúde] hoje financia. Há nove mil leitos ainda a serem financiados. Isso aqui da forma mais transparente possível, colocando o que a gente tem de dados publicados no Diário Oficial da União”, pontuou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Jovem com mandado em aberto é detido em Bataguassu
POLÍCIA
Jovem com mandado em aberto é detido em Bataguassu
INTERNACIONAL
Comissão da OMS faz recomendações para evitar próxima pandemia
Publicado extrato de adesão de contrato para emissão dos cartões do Mais Social
BENEFÍCIO
Publicado extrato de adesão de contrato para emissão dos cartões do Mais Social
ORDEM DO DIA
Aprovados PLs que prorrogam estado de calamidade pública
DOURADOS
Alerta para chuva intensa acaba com garoa, mas de declínio de temperatura é estendido
ECONOMIA
No MS, exportações crescem e saldo da balança comercial é de US$ 1,213 bilhão
ECONOMIA
Abate de bovinos cai 10,3% no primeiro trimestre do ano
É LEI
Semana Sul-mato-grossense do Leite entra no calendário oficial de MS
DOURADOS
Incra licitará contratação de técnicos em secretariado por até R$ 3,9 mil mensais
PANDEMIA
Com número alto de novos casos de coronavírus, MS ultrapassa 260 mil infectados

Mais Lidas

PANDEMIA
Levado pela Covid-19, "João da União" deixa legado para família e em Dourados
INDÁPOLIS
'Frio' e com roupa ainda suja de sangue, assassino de tio não mostrou arrependimento ao ser preso
DOURADOS
Homem morre no HV após acidente com condutor que empinava moto
PANDEMIA
Novo decreto mantém toque de recolher às 21h e autoriza abertura de cinema em Dourados